Renner revisa processo de certificação de fornecedores

Ministério do Trabalho apontou descumprimento de leis trabalhistas na oficina de costura Letícia Paniágua Verdugues

São Paulo – A Lojas Renner informou nesta quinta-feira, 27, que está revisando e aperfeiçoando o processo de auditoria e certificação de fornecedores, após ter sido apontado descumprimento de leis trabalhistas pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) e o Ministério Público do Trabalho na oficina de costura Letícia Paniágua Verdugues.

Segundo a Renner, esta oficina foi contratada por dois fornecedores da Lojas Renner – as indústrias têxteis nacionais Kabriolli e Betilha.

A Renner disse ter sido notificada sobre fiscalização na oficina em 11 de novembro e afirmou que se colocou “ao lado” do MTE para garantir o cumprimento das leis trabalhistas.

“A Lojas Renner não compactua e repudia a utilização de mão-de-obra irregular em qualquer etapa de produção dos itens que comercializa”, afirmou a companhia em comunicado.

Segundo o documento, todos os fornecedores da companhia assinam contratos em que se comprometem a cumprir a legislação trabalhista vigente, além de um Termo de Compromisso e Conduta Responsável.

A companhia afirmou ainda que notificou os fornecedores para regularização imediata da situação trabalhista dos empregados fiscalizados pelo MTE.

De acordo com a Lojas Renner, a Oficina Letícia Paniágua compareceu ao MTE e regularizou a situação de seus empregados, com pagamento de verbas rescisórias e liberação do FGTS.

“As indústrias Kabriolli e Betilha descredenciaram a oficina contratada Letícia Paniágua e firmaram Termo de Ajustamento de Conduta com o Ministério Público do Trabalho, garantindo a admissão desses trabalhadores em suas operações, com pagamento das indenizações trabalhistas fixadas pelo MTE”, acrescentou a empresa.