Rendas com tarifas no BB somam R$ 6 bi

De junho a setembro, as receitas com prestação de serviços avançaram 1,4% em relação ao mesmo período do ano passado

São Paulo – As rendas com tarifas do Banco do Brasil totalizaram R$ 6,022 bilhões no terceiro trimestre, aumento de 5,8% em relação ao mesmo período do ano passado. No comparativo trimestral esses ganhos caíram 0,7%.

De junho a setembro, as receitas com prestação de serviços avançaram 1,4% em relação ao mesmo período do ano passado e caíram 3,2% frente ao segundo trimestre, para R$ 3,859 bilhões.

As receitas com tarifas bancárias, por sua vez, aumentaram 14,8% na comparação com o terceiro trimestre do ano passado e 4,2% frente ao segundo trimestre, para R$ 2,163 bilhões.

despesas administrativas

As despesas administrativas do Banco do Brasil aumentaram 7,3% para R$ 8,419 bilhões no terceiro trimestre na comparação com o mesmo período do ano passado e avançaram 5,6% em relação ao segundo trimestre.

De junho a setembro, as despesas de pessoal do BB somaram R$ 5,283 bilhões, aumento de 10,9% em um ano e de 6,6% em relação aos três meses anteriores. Outras despesas administrativas foram a R$ 3,137 bilhões, elevação de 1,7% e de 4%, respectivamente.

índice da Basileia

O índice da Basileia do Banco do Brasil encerrou setembro em 17,6%, 1,1 ponto porcentual acima de 16,5% em junho. Em um ano, a alta foi de 1,3 p.p. O indicador mede o quanto o banco pode emprestar sem comprometer o seu capital.

Do indicador no terceiro trimestre, 12,2% referiram-se ao capital de nível 1, de melhor qualidade, 0,90 p.p. maior ante o segundo trimestre. Em um ano, piorou 0,50 p.p. O índice de capital principal do banco foi a 9,1% ao final de setembro contra 8,4% em junho e 8,1% em 12 meses.

O Patrimônio de Referência do BB, que considera os novos requisitos de apuração do capital regulamentar de Basileia III, atingiu o montante de R$ 127,061 bilhões no terceiro trimestre, aumento de 1,59% em relação aos três meses anteriores. Em um ano, diminuiu 7%.