BC pode forçar Batistas a venderem parte do Banco Original

Mudança de controle seria recomendada diante da regra do BC de que acionistas e executivos de bancos mantenham boa reputação

Uma regra do Banco Central pode pressionar Joesley e Wesley Batista a vender suas participações no Banco Original, depois que os irmãos donos da JBS fecharam acordo de delação premiada admitindo a prática de corrupção.

A mudança de controle seria recomendada diante da regra do BC de que acionistas e executivos de bancos mantenham boa reputação, segundo pessoas familiares ao caso e que não estão autorizadas a falar em público.

Nenhuma intervenção está sendo planejada pelo BC e a liquidez do banco não é um problema, dizem as fontes.

O BC disse, por e-mail, que a “administração do banco segue em normalidade. A condição de controladores de instituição financeira não é afetada automaticamente pelo andamento de eventuais processos judiciais”. O Original não quis comentar o assunto e a J&F não respondeu ao pedido de resposta da Bloomberg.

O Banco Central não interfere diretamente em negociações privadas de compra e venda de instituições e pode, apenas, analisar demandas das partes interessadas, disse uma fonte.

Um auditor do BC está monitorando as finanças do banco. O Original tinha R$ 8,72 bilhões em ativos assim como em dezembro, de acordo com dados do BC.

Este conteúdo foi originalmente publicado no site da Bloomberg.