Rede paga mais de R$ 2 bi a lojistas com custo zero de antecipação

A ofensiva da Rede na antecipação de recebíveis ocorreu em meio ao acirramento da concorrência no setor de maquininhas

São Paulo — A Rede, do Itaú Unibanco, já pagou mais de R$ 2 bilhões a lojistas na nova política de antecipação de recebíveis com isenção de taxa. A iniciativa, que teve início no dia 2 de maio, já contemplou quase 300 mil clientes, conforme a número dois do setor de maquininhas.

Na mira da Rede estão clientes novos e antigos que faturam até R$ 30 milhões por ano nas maquininhas da marca como, por exemplo, autônomos, microempreendedores, profissionais liberais, pequenos e médios varejistas. Para ter acesso à isenção na antecipação de recebíveis precisam, contudo, receber seus pagamentos no Itaú e ou no Tribanco.

“A nova condição não é promoção e tem potencial de alcance muito mais amplo, podendo vir a impactar positivamente 98% do varejo brasileiro”, garante a Rede, em nota ao Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado.

Para a base atual e a que virá, a antecipação de recebíveis de crédito à vista custará uma taxa única de até 3,49%. Comerciantes com faturamento acima de R$ 10 mil por mês, podem obter condições melhores.

A ofensiva da Rede na antecipação de recebíveis ocorreu em meio ao acirramento da concorrência no setor de maquininhas. Como consequência, o Itaú revisou para baixo a projeção de desempenho para a sua margem financeira deste ano para suportar o impacto do menor ganho da sua adquirente.