Receita trimestral da Telecom Italia sobe 12,6%, mas operação local cai 3,8%

No terceiro trimestre, receita local passou de 4,94 bilhões de euros para 4,74 bilhões

São Paulo – A difícil situação política e econômica da Itália, que atualmente se encontra no olho do furacão da crise europeia, continua influenciando negativamente os resultados financeiros do grupo Telecom Italia, sobretudo no mercado doméstico.

Nesta sexta-feira, 11, a companhia anunciou o balanço do terceiro trimestre e, em relação a igual período do ano passado, viu sua receita local cair cerca de 4%, de 4,94 bilhões de euros para 4,74 bilhões de euros.

Na comparação com igual trimestre de 2010, o Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações), por sua vez, cresceu 6,8%, passando de 2,29 bilhões de euros para 2,45 bilhões de euros entre julho e setembro deste ano.

O lucro operacional da Telecom Italia em seu país de origem foi de 1,54 bilhão de euros, crescimento de 20% em relação a igual período de 2010.

Apenas para efeito de comparação, ao longo do mesmo período as receitas das operações no Brasil registraram alta de 18,9% (1,9 bilhão de euros no terceiro trimestre de 2011), ganho de 10,2% no Ebitda (496 milhões de euros) e lucro operacional 45,4% maior (243 milhões de euros).

Acumulado

No acumulado dos primeiros nove meses de 2011, a unidade de negócios domésticos do grupo italiano registrou queda de 6,2% em suas receitas, encerrando setembro com faturamento de 14,1 bilhões de euros. 


O Ebitda ficou em 6,99 bilhões (queda de 3% em relação ao acumulado de 2010); e o lucro operacional teve redução de 78,9%, caindo de 4,04 bilhões de euros de janeiro a setembro de 2010 para apenas 850 milhões de euros no mesmo intervalo deste ano.

Global

Apesar dos resultados locais negativos, as operações internacionais garantiram o crescimento da receita do Grupo Telecom Italia. A receita trimestral da companhia foi de 7,51 bilhões de euros, 12,6% a mais que o terceiro trimestre de 2010.

No acumulado do ano até aqui, ou seja, de janeiro a setembro de 2011, o crescimento foi de 10,9%. O grupo faturou 22 bilhões de euros, contra 19,8 bilhões de euros dos três primeiros trimestres de 2010.

O Ebitda do terceiro trimestre também cresceu (16,6%), de 2,74 bilhões de euros para 3,19 bilhões de euros e aumentou 8,3% no acumulado do ano em relação ao mesmo período de 2010, encerrando setembro último em 9,17 bilhões de euros.

O lucro operacional, embora tenha subido no terceiro trimestre deste ano em relação ao mesmo período de 2010, de 1,42 bilhão de euros para 1,89 bilhão de euros, teve uma redução de nada menos que 57% no acumulado de janeiro a setembro, caindo de 4,3 bilhões de euros nos primeiros nove meses do ano passado para 1,85 bilhão de euros em 2011.