Receita Federal cobra R$ 1,6 bilhão da Fibria

Companhia sofreu autuação fiscal referente troca de ativos, mas considera valor elevado - mais de 1,1 bi são referentes a juros e multas

São Paulo – A Fibria foi autuada pela Receita Federal em 1,6 bilhão de reais referentes a imposto de renda e contribuição social sobre o lucro.

Segundo a companhia, a cobrança não trará impacto financeiro de curto e médio prazo para seus negócios. No entanto, a Fibria considera o valor elevado do auto de infração.

Do montante que está sendo cobrado, 556 milhões de reais são o valor original da dívida e 1,1 bilhão de reais são de multas e juros.

A companhia afirmou que, neste momento, não tomará nenhuma medida, a não ser a apresentação da regular defesa administrativa no prazo legal.

O caso

Em fevereiro de 2007, a Fibria, que se chamava Votorantim Celulose Papel (VCP), celebrou um acordo com a International Paper, com o objetivo de permuta de ativos das duas empresas.

Em conseqüência do acordo, a VCP transferiu à International Paper a unidade de produção de celulose e papel localizada no município de Luiz Antonio (SP), bem como a base florestal específica desta unidade.

A International Paper, por sua vez, transferiu para a VCP ativos referentes a uma planta de celulose em construção, com todos os direitos relacionados, além de terras e florestas plantadas localizadas no entorno de Três Lagoas (MS).

No entendimento dos consultores, a operação de permuta foi rigorosamente legal e seus resultados comprovados para a Receita Federal.