Quem é Chen Guangbiao, o empresário mais convencido da China

Magnata chinês ganhou destaque ao afirmar que estava indo aos Estados Unidos para comprar o New York Times

São Paulo – Chen Guangbiao, o magnata chinês que ganhou destaque na mídia por querer comprar o New York Times recentemente, se define como a pessoa mais influente da China.

Além de influente, ele também é o líder mais moral, a pessoa mais filantrópica,  o herói dos terremotos no país asiático e as qualificações não param por aí.

Todos os atributos acima e alguns outros estão estampados no cartão de visita do empresário, que não tem nenhum pudor em distribui-lo por onde passa. A Business Insider conseguiu a cópia de um e o divulgou em seu site.

Excêntrico também parece ser outro adjetivo bastante apropriado para rotular Chen, já que o empresário vive protagonizando histórias um tanto curiosas.

A última foi achar que poderia comprar por cerca de 1 bilhão de dólares o New York Times, sem  mesmo saber se a publicação estava à venda.

“Vou viajar para os Estados Unidos e comprar o New York Times”, afirmou Chen durante  participação em um evento no dia 30 de dezembro do ano passado na China.

Dias depois, o empresário admitiu à agência de notícias Reuters que cumprir seu plano não seria tão simples e que o grau de dificuldade parecia elevado, pois a direção da empresa havia rejeitado um pedido de reunião para discutir o negócio.


Caridade

Na China, Chen é conhecido por fazer doações milionárias para pessoas carentes e vítimas de grandes tragédias. Há quem o acuse, no entanto, de fazer filantropia com um único objetivo: o de se promover com a desgraça alheia.

Verdade ou não, o empresário prometeu a Warren Buffett e Bill Gates que doará toda a sua fortuna após sua morte para a caridade.

Chen chegou a enviar uma carta à dupla de bilionários americana afirmando que seria uma vergonha para ele acumular tanta riqueza e não poder ajudar.

Negócios

Chen nasceu em uma família humilde na China e conquistou sua fortuna por meio de seus próprios esforços. Empresário da área de demolições, ele é o presidente da Jiangsu Huangpu Renewable Resources Utilization e tem fortuna avaliada em mais de meio bilhão de dólares.

Chen está longe de ser o homem mais rico do país asiático, na ultima lista dos 400 mais ricos da China da Forbes, ele não apareceu. A dúvida agora é saber como ele pagaria 1 bilhão para comprar o NYT, sem ter toda essa fortuna.