Qantas é eleita a companhia aérea mais segura do mundo

Ranking da Airline Ratings.com traz as dez empresas mais confiáveis do mundo, além das dez mais seguras de baixo custo

São Paulo – Com uma frota mais nova e nenhum acidente aéreo em seu currículo, a Qantas foi eleita como a companhia aérea mais segura do mundo.

A constatação é do Airline Ratings.com, site de classificação mundial de segurança, a partir de um estudo feito com 449 empresas do setor.

O site divulgou hoje a lista das dez companhias de aviação mais seguras do mundo, com base em auditorias governamentais, número de acidentes e histórico operacional das empresas.

Liderado pela Qantas, o ranking traz ainda, em ordem alfabética, as companhias Air New Zealand, a Cathay Pacific Airways, British Airways, Emirates, Etihad Airways, EVA Air, Finnair, Lufthansa e Singapore Airlines.

“Qantas continua a liderar a indústria com inovações de segurança e sua frota é agora 7,9 anos mais jovem, graças ao investimento constante em renovação feito pela empresa desde que foi privatizada, em 1995,” afirmou Geoffrey Thomas, à CNN hoje pela manhã.

Este ano, o site também inclui uma lista dos 10 melhores companhias aéreas mais seguras de baixo custo para 2015.

São elas, em ordem alfabética: Aer Lingus (Irlanda), Alaska Airlines (EUA), Icelandair (Islândia), Jetblue (EUA), Jetstar (Austrália), Kulula.com (África do Sul), Monarch Airlines (UK), Thomas Cook (UK), TUIfly (Alemanha) e WestJet (Canadá).

Ano difícil

De acordo com o site, não há dúvida que 2014 foi um ano ruim para a segurança aérea com alguns dos incidentes mais trágicos e bizarros da história moderna.

Mas os números podem enganar. No ano, 21 acidentes fatais com 986 mortes aconteceram, número acima da média dos últimos dez anos.

Entretanto, se considerado o número recorde de passageiros transportados – 3,3 bilhões em 27 milhões de voos – menos acidentes acontecem hoje que no passado.

Trata-se de um acidente fatal para cada 1,3 milhões de voos.

Nos últimos 50 anos havia um escalonamento de 87 acidentes com 1.597 mortos quando apenas 141 milhões de pessoas eram transportadas.

“Se os números absolutos forem considerados, voar hoje é mais seguro”, diz Kane Ray, analista do Bureau Internacional de Aviação, um grupo de consultoria de aviação global.

Quatro piores

Das 449 companhias avaliadas, 149 alcançaram a classificação máxima de sete estrelas dadas pela avaliação. Quase 50 tiveram apenas três estrelas ou menos.

Quatro das companhias aéreas mundiais só alcançaram uma estrela para a segurança.

Duas delas são do Nepal – Tara Air e Nepal Airlines – e as outras são a Scat Airlines do Cazaquistão e a afegã Kam Air.