Proteja os projetos

Por que os planos não saem do jeito que a gente gostaria

As empresas costumam desenvolver dezenas de projetos. O objetivo é sempre o mesmo: transformar as estratégias em resultados. Mas, na maioria das vezes, o resultado é apenas tempo e dinheiro perdidos. O que dá errado? Uma pesquisa da seção carioca do Project Management Institute (PMI) em parceria com a consultoria Deloitte, o International Institute for Learning e a fabricante de software IFS feita em 60 companhias de médio e grande portes no Brasil indica os principais fatores que transformam a gestão de projetos em gestão de problemas. Apesar da importância crescente dos projetos, eles ainda são administrados, em geral, informalmente , diz Américo Pinto, consultor da Deloitte. Algumas conclusões da pesquisa:

  • Em 14% das empresas, não há procedimentos formais de gestão de projetos. Em 21%, o problema não é a falta, mas o excesso: as pessoas trabalham com mais de duas metodologias diferentes.
  • Os responsáveis pela condução de projetos normalmente consideram apenas três aspectos básicos do planejamento escopo, prazo e custo , deixando questões importantes de lado. É o caso da gestão de risco. Em 49% das empresas ela é feita informalmente. Em 13% não existe nenhum acompanhamento.
  • A tarefa de tirar lições para os próximos projetos costuma ser negligenciada: só 4% das empresas afirmam cuidar sempre da gestão do conhecimento ao fim de cada projeto.

    MAL PROJETADOS
    Os problemas mais comuns na gestão de projetos, segundo
    as empresas consultadas pelo PMI (em %)
    Prazos prorrogados
    72
    Retrabalho
    72
    Interrupções no ritmo do trabalho
    71
    Mudanças de escopo
    69
    Planejamento insuficiente
    63
    Controle inadequado
    51
    Aumento de custos
    46
    Problemas de comunicação
    43