Na Promon, funcionários também são acionistas

Empresa foi destaque na categoria Estratégia e Gestão do ranking das Melhores Empresas para Você Trabalhar, de EXAME e VOCÊ SA

São Paulo – Desde 1970, a empresa de projetos e obras de infraestrutura Promon adotou uma estratégia bem firme, voltada para a valorização dos funcionários. Qualquer trabalhador contratado tem direito a comprar ações da empresa e, com isso, participar das decisões da companhia.

Essa política rendeu à Promon o prêmio na categoria Estratégia e Gestão, entregue hoje (8/9), em São Paulo, no lançamento do 14º Guia VOCÊ SA-EXAME – Melhores Empresas para Você Trabalhar.

O presidente da companhia, Luiz Fernando Telles Rudge, considera que abrir essa possibilidade para os trabalhadores darem sua contribuição é um incentivo para o desenvolvimento da capacidade de inovação e renovação. Segundo ele, a Promon tem 1.200 acionistas-funcionários, que representam cerca de 85% de todo efetivo de contratados da companhia.

“Esse modelo baseia-se na cultura da organização, que permite que o funcionário ajude a empresa a se renovar e conseguir novas estratégias”, diz Rudge.

De acordo com ele, os interessados em ter ações na companhia têm acesso até a financiamento para comprá-las. Ele destaca que o crescimento dentro da companhia não está vinculado à posse, ou não, de ações. No entanto, à medida que o funcionário tem mais tempo de casa, ele também passa a ter mais poder de decisão como acionista.

Outro reflexo da estratégia adotada é a baixa rotatividade voluntária, menor do que a média do mercado. “Há uma tendência de as pessoas permanecerem na Promon por períodos longos, e eu acredito que esse modelo de gestão tenha um efeito grande na retenção de profissionais, não apenas pelo beneficio econômico que pode trazer, mas também pela participação”, afirma.

Leia mais sobre governança

Acompanhe as notícias de Gestão pelo Twitter