Produção de aço na China deverá crescer 3%, afirma Vale

De acordo com Luciano Siani, diretor de Finanças e de Relações com Investidores da Vale, a produção siderúrgica chinesa já está crescendo abaixo do PIB do país "há algum tempo"

Rio – A produção de aço na China deverá crescer cerca de 3% em um período entre cinco a 10 anos, afirmou nesta quarta-feira, durante conversa com jornalistas, o diretor de Finanças e de Relações com Investidores da Vale, Luciano Siani. De acordo com o executivo, a produção siderúrgica chinesa já está crescendo abaixo do PIB do país “há algum tempo”.

O diretor da Vale afirmou que a empresa trabalha, nesse momento, para conseguir “fazer mais com menos”, e por isso seus investimentos deverão cair em 2013, na comparação ao total que deverá encerrar este ano. Até setembro, os aportes da companhia somaram US$ 12,4 bilhões.

A intenção da mineradora agora é manter seus investimentos em minério de ferro, seu carro-chefe, e buscar parceiros nos demais negócios. A intenção é manter os planos nesses segmentos com um menor dispêndio de caixa, ou seja, com a ajuda financeira de parceiros. “A Vale está priorizando investimentos para adequar a sua geração de caixa. Estamos olhando parcerias ativamente”, afirmou.

O diretor da Vale disse que a empresa deverá ter mais notícias sobre seu programa de desinvestimentos e busca de parcerias no período de 12 a 18 meses.