Problemas do BES têm efeito de R$356 mi no lucro do Bradesco

O banco, que tem fatia de 3,9% na instituição, ajustará sua contabilidade em decorrência dos recentes acontecimentos envolvendo o Banco Espírito Santo

São Paulo – O Bradesco fará um ajuste contábil não-recorrente de 100% do investimento que detém no Banco Espírito Santo (BES) por meio de provisionamento, conforme comunicado ao mercado.

O banco, que tem fatia de 3,9% na instituição, estima efeito de R$ 356 milhões no lucro líquido do terceiro trimestre.

O ajuste se faz necessário, segundo o Bradesco, por causa dos recentes acontecimentos envolvendo o BES.

No domingo, 03, o Banco Central de Portugal anunciou a separação do banco em dois: um “banco bom”, com todos os depósitos e ativos saudáveis, e um “banco mau”, com as operações problemáticas – basicamente feitas com o próprio grupo.

No Brasil, o BES tem mais de R$ 8 bilhões em ativos, conforme demonstrações financeiras de 2013. O patrimônio líquido do banco era de R$ 665,7 milhões ao fim de dezembro último.

No ano passado, o BES Investimento do Brasil registrou lucro líquido de R$ 41 milhões, aumento de 32% ante 2012.

O índice de Basileia do banco estava em 14,2%, acima no mínimo exigido pelo Banco Central brasileiro, de 11%. O indicador mede o quanto o banco pode emprestar sem comprometer o seu capital.