Poucas empresas no Brasil adotam benefícios para as mulheres

Apenas um terço das companhias do país concede licença-maternidade estendida de seis meses e somente 23% promovem campanhas pré e pós-natal, segundo pesquisa

São Paulo – No Brasil, ainda é pequeno o número de empresas que adotam pacotes de benefícios exclusivos para ajudar as mulheres a conciliarem carreira e vida pessoal.

É isso o que aponta um estudo divulgado pela consultoria Mercer Marsh nesta quarta-feira (16).

A pesquisa avaliou 267 companhias de grande e médio de porte, de 29 segmentos, de janeiro a outubro.

Entre elas, apenas um terço concede licença-maternidade estendida de seis meses e somente 23% promovem campanhas pré e pós-natal.

O número de corporações que declaram ter berçário para recém-nascidos é ainda mais baixo, de 3%.

Os espaços para que as funcionárias coletem e conservem o leite materno também são raros: só existem em 7% das empresas ouvidas.