Por que é importante conhecer os consumidores de sua marca?

Pesquisas digitais permitem que empresas entendam comportamentos e hábitos de consumo para tomar decisões mais assertivas de forma ágil

Os avanços tecnológicos têm provocado mudanças na forma como as pessoas se comportam. Em meio ao uso constante de smartphones e redes sociais, surgem consumidores cada vez mais exigentes, que desejam conversar com suas marcas preferidas e expressar suas opiniões sobre produtos, serviços e até campanhas.

Mas será que as empresas estão atentas ao que o público diz? Segundo pesquisa realizada pela agência de comunicação Edelman, 78% dos consumidores acham importante que as marcas escutem e respondam com atenção seus consumidores. Mas apenas 17% sentem que as marcas prestam atenção de verdade.

Um estudo feito pela consultoria Accenture aponta ainda que apenas as empresas que acompanharem as mudanças no comportamento do consumidor vão crescer nos próximos anos. Mas engana-se quem pensa que ter somente uma base de dados atualizada com informações genéricas relacionadas a hábitos de compra é o suficiente.

O consumidor precisa ser o centro da estratégia de marketing. “Cada vez mais há uma necessidade de entregar produtos e serviços mais personalizados, e grande parte disso depende de a empresa conhecer o seu público”, diz a master coach Tânia Zambon.

Há alguns anos, o processo de adquirir informações sobre seus consumidores passava quase exclusivamente pela pesquisa de rua. Era preciso colocar profissionais treinados em campo para abordar potenciais respondentes em locais públicos, método longo e de alto custo. Hoje, novas tecnologias levaram o questionário para smartphones e tablets. Mais acessíveis a empresas de diversos portes e segmentos, softwares e plataformas digitais têm ajudado a democratizar o acesso à pesquisa.

Com mais rapidez na coleta e um volume maior de informações em mãos, as empresas melhoram a experiência do consumidor e, com isso, podem lucrar mais. “Campanhas de marketing assertivas reduzem o custo de venda. Além disso, os esforços passam a visar à conquista de um fã, e não apenas um usuário, já que a pesquisa mostra como encantar o público”, explica Renata Valéria Lopes, especialista em TI.

Veja o caso da MindMiners, considerada referência em pesquisa digital no Brasil. A empresa foi fundada em 2013 com o objetivo de desenvolver plataformas inteligentes para que as marcas pudessem ouvir e entender seus consumidores com agilidade.

Seus produtos e serviços têm contribuído para que empresas como Coca-Cola e Nestlé tomem decisões com mais segurança. “Cada vez mais, é preciso tratar o consumidor de forma individualizada e achar o perfil correto para uma comunicação mais efetiva. Esse é o nosso diferencial”, afirma Lucas Melo, cofundador da MindMiners.

A empresa se tornou um parâmetro no mercado de pesquisa brasileiro por oferecer soluções digitais completas para projetos focados em inteligência de mercado. São muitas as possibilidades disponíveis, que se adequam a todos os perfis de clientes e tipos de demandas.

É o caso, por exemplo, da plataforma automatizada para a realização de pesquisas digitais, da ferramenta para criação de questionários e coleta de respostas, além de um serviço sob medida que conta com a assessoria de profissionais altamente qualificados para projetos de maior complexidade.

Além da possibilidade de as empresas acompanharem a evolução da pesquisa em tempo real, o modelo de pesquisa digital traz benefícios também para o respondente. Sem a necessidade de deslocamento ou de uma abordagem presencial inconveniente, aumentam as chances de engajamento do consumidor. “Participo de pesquisas online sobre marcas, campanhas e produtos. Sem sair de casa, opino sobre o que uso ou gostaria de usar”, conta Renata Valéria Lopes.

A empresa também conta com uma base própria que reúne mais de 300 000 usuários cadastrados que podem ser acionados para responder as pesquisas. “O grande diferencial é que as respostas são de qualidade. Se a taxa de retorno por e-mail é de 0,1%, o número cresce para 70%”, diz Melo. “Com isso, uma pesquisa que levava um mês tem demorado uma semana. Sem contar o custo, que cai pela metade.”

A validação dos questionários fica sob a responsabilidade de um robô e da equipe técnica da MindMiners, que excluem aqueles que apresentam inconsistências nas respostas ou falta de aderência ao perfil que se deseja ouvir. “Ao definir o perfil do cliente, a empresa tem mais informações para ajustar as campanhas e atingir mais rápido o seu cliente ou até mesmo ajustar o seu produto ou serviço a esse público”, explica Tânia.

Trata-se de uma evolução no segmento de pesquisa, impulsionada pela tecnologia, que possibilita que qualquer empresa possa conhecer melhor o que seus consumidores têm a dizer.