Por dentro do arrojado laboratório de inovação da Vivo

O Vivo Digital Labs, novo centro de desenvolvimento e inovação da operadora de telefonia, tem arquitetura inspirada nas empresas do Vale do Silício

São Paulo — A Vivo, marca comercial da Telefônica no Brasil, inaugura, nesta segunda-feira, um novo laboratório de inovação e desenvolvimento de software. Sua arquitetura, inspirada nas empresas do Vale do Silício, foi toda pensada para promover a criatividade e a troca de experiências entre os profissionais que desenvolvem os sites na web e os aplicativos da empresa.

O Vivo Digital Labs tem uma missão ousada pela frente. Seu objetivo é acelerar o desenvolvimentos de canais digitais para atendimento aos 80 milhões de clientes da empresa. Com mais usuários resolvendo problemas, solicitando visitas técnicas, esclarecendo dúvidas e contratando novos serviços por meio de aplicativos e sites, a Vivo espera reduzir o custo do atendimento e melhorar a satisfação dos clientes.

O laboratório ocupa metade de um andar num dos prédios da Vivo na zona Sul de São Paulo. Nele, devem trabalhar, inicialmente, 160 profissionais. “É uma mudança cultural. Desmontamos salas, flexibilizamos horários, dividimos os desenvolvedores em ‘squads’ e adotamos técnicas de desenvolvimento ágil”, diz Christian Gebara, vice-presidente executivo da Vivo. “Até mudamos a maneira de recrutar os profissionais, passando a usar mais as redes sociais e as indicações para buscá-los”, completa.

Com essas mudanças, Gebara espera que as equipes de desenvolvimento se tornem mais eficientes e criativas. EXAME visitou o Vivo Digital Labs poucos dias antes da inauguração oficial. Veja o que esse espaço de trabalho tem de especial.