Por coronavírus, Uber suspende corridas do “Juntos” no Canadá e nos EUA

Medida foi tomada para evitar contágio entre passageiros nestes países. No Brasil, empresa ainda não se pronunciou sobre o que acontecerá com o Juntos

A Uber suspendeu nos Estados Unidos e no Canadá o serviço de viagens compartilhadas Uber Pool — similar ao Uber Juntos no Brasil.

Na modalidade, o usuário paga mais barato se topar dividir sua viagem com outras pessoas que estejam buscando trajetos parecidos.

A decisão veio por conta do novo coronavírus, em meio a pedidos de autoridades de saúde para que aglomerações sejam evitadas. Nos Estados Unidos, autoridades pediram aos cidadãos que evitem aglomerações acima de dez pessoas.

Em corridas do Juntos, usuários que não se conhecem podem terminar compartilhando o veículo e ficando a pouca distância uns dos outros, o que, na teoria, aumentaria o risco de algum contágio.

Até às 13h desta terça-feira, os Estados Unidos tinham mais de 5.200 casos. O Canadá tem 447 casos confirmados e o primeiro-ministro Justin Trudeau está em quarentena após sua esposta ter sido diagnosticada com o vírus na semana passada. Ambos os países também impuseram restrição à entrada de estrangeiros na fronteira.

“Nosso objetivo é ajudar a achatar a curva [de contágio por coronavírus]”, disse Andrew MacDonald, executivo da Uber, ao anunciar a medida para EUA e Canadá.

A restrição da Uber não se aplica às viagens da modalidade Juntos no Brasil. A EXAME entrou em contato com a assessoria de imprensa da companhia, que afirmou que, por enquanto, não há um comunicado oficial sobre o serviço em território brasileiro. O espaço ficará aberto para qualquer atualização da empresa.

O Brasil tinha até a manhã de terça-feira 234 casos confirmados de coronavírus, segundo boletim do Ministério da Saúde. O número real de casos pode ser maior, uma vez que nem todos os usuários fizeram testes para a doença e a atualização dos dados vindos das secretarias de Saúde estaduais pode demorar algumas horas.

Outras medidas

A Uber criou em alguns países em que atua uma página com informações sobre o coronavírus e as medidas que devem ser tomadas por passageiros, motoristas e entregadores parceiros. Das mudanças, a Uber Eats, braço de entregas de refeições, instaurou a opção de entrega sem contato com o entregador, enquanto a empresa vem distribuindo recursos para ajudar motoristas a manter os carros limpos.

Motorista ou entregador parceiro diagnosticado com coronavírus e que estiver em local com quarentena decretada por alguma autoridade de saúde receberá assistência financeira por 14 dias. Segundo a empresa, alguns motoristas já foram ajudados em áreas afetadas e a medida está sendo implementada “rapidamente em todo o mundo”.

A Uber atua em mais de 500 cidades no Brasil e mais de 10.000 cidades no mundo, em 69 países. Em território brasileiro, são mais de 22 milhões de usuários e 850.000 motoristas e entregadores parceiros.

A concorrente chinesa DiDi Chuxing, dona da 99 e da 99Food no Brasil, também anunciou na semana passada a criação de um fundo especial de 10 milhões de dólares para dar apoio aos motoristas e entregadores parceiros da empresa que forem diagnosticados com o novo coronavírus.