Polônia pode proibir produtos da Huawei após prisão de funcionário

A Polônia prendeu um funcionário chinês da Huawei e uma ex-autoridade de segurança polonesa sob alegações de espionagem

Varsóvia – A Polônia pode considerar uma proibição do uso de produtos Huawei por órgãos públicos e uma possível legislação para limitar seu uso por cidadãos privados, disse uma autoridade sênior do governo neste domingo (13), após a prisão de um funcionário da Huawei na Polônia.

A Polônia prendeu um funcionário chinês da Huawei e uma ex-autoridade de segurança polonesa sob alegações de espionagem, disseram autoridades e fontes à Reuters na sexta-feira, medida que pode gerar preocupações do Ocidente com segurança em relação à fabricante de equipamentos de telecomunicações.

Uma autoridade do governo que é responsável por segurança cibernética disse à Reuters que mudanças “abruptas” da política em relação à Huawei não eram garantidas após as prisões.

Mas ele afirmou que o uso de produtos da companhia por entidades estatais poderia ser revisto.

“Vamos analisar se… nossa decisão pode incluir o fim do uso… de produtos da Huawei”, disse Karol Okonski à Reuters.