Petroleiros adiam decisão sobre início de greve

A nova data foi comunicada à estatal, que, segundo a FUP, aceitou e agendou uma rodada de negociações para a próxima quarta-feira

Rio de Janeiro – Os petroleiros adiaram para a próxima quarta-feira o prazo para que a Petrobras apresente contraproposta salarial. Caso não haja avanços nas negociações, uma greve por tempo indeterminado pode ocorrer a partir do dia 11, disse a Federação Única dos Petroleiros (FUP) neste sexta-feira.

A nova data foi comunicada à estatal, que, segundo a FUP, aceitou e agendou uma rodada de negociações para a próxima quarta-feira.

A decisão de novo prazo foi tomada pelo Conselho Deliberativo da FUP em reunião realizada nesta sexta-feira. Segundo a entidade, na próxima quinta-feira, dia seguinte ao encontro com a Petrobras, está prevista uma nova reunião do Conselho Deliberativo para decidir sobre a greve.

A orientação é que os sindicatos realizem as assembleias de 05 a 10 de outubro para que os trabalhadores se posicionarem sobre o indicativo.

Até o momento, a entidade participou de três negociações com a estatal, sem que houvesse um acordo definitivo.

A estatal propôs 6,5 por cento de reajuste, com ganho real entre 0,9 e 1,2 por cento, mais gratificação. No entanto, a oferta foi rejeitada em todas as assembleias dos petroleiros, que pedem aumento real de 10 por cento.

Na última quarta-feira os petroleiros fizeram uma paralisação de 24 horas, com adesão de 90 por cento dos funcionários, para pressionar a estatal a apresentar nova proposta.

O movimento não provocou prejuízo às operações da Petrobras, segundo a estatal.