Petrobras não tem intenção de vender fatia em Búzios, diz diretor

Venda de participação do ativo poderia ser forma de companhia conseguir recursos para bancar gastos com bônus de assinatura do megaleilão do pré-sal

São Paulo — A Petrobras não tem a intenção de realizar um “farm-out” no bloco de Búzios, ou venda de fatia no ativo, disse o diretor-executivo de Exploração e Produção da companhia, Carlos Alberto Pereira de Oliveira, durante teleconferência com investidores para comentar os movimentos da petroleira nos leilões do pré-sal desta semana.

A venda de participação do ativo poderia ser uma forma importante de a companhia conseguir recursos para bancar o gasto com bônus de assinatura do leilão do excedente de Búzios, esta semana, de cerca de R$ 63 bilhões.

Mas a diretora-executiva de Finanças e Relacionamento com Investidores, Andrea de Almeida, disse que a companhia mantém metas de desalavancagem, apesar de grandes ofertas por ativos no pré-sal, que geraram preocupações no mercado sobre questões de endividamento.

A CFO disse que a empresa tem opções para levantar recursos para bancar ofertas de leilões, como desinvestimentos e acordo de coparticipação com parceiras chinesas em Búzios, onde a Petrobras já atua pelo contrato original da cessão onerosa.