Petrobras encerrará contrato com empresa da J&F por corrupção

Extinção antecipada de contrato com a Âmbar de fornecimento de gás para uma termelétrica em Cuiabá ocorreu devido à violação de cláusula anticorrupção

São Paulo – A Petrobras vai extinguir antecipadamente um contrato de gás com a Âmbar, empresa de energia da holding J&F, e ainda cobrará multa de 70 milhões de reais, devido à violação de cláusula contratual que trata de legislação anticorrupção, segundo comunicado da estatal nesta quinta-feira.

A J&F é também controladora da empresa de alimentos JBS.

Segundo a petroleira, a cobrança será feita a título de indenização pelo descumprimento do contrato, que havia sido fechado para o suprimento da termelétrica Mário Covas, em Cuiabá, que está em operação, de acordo com a Âmbar.

O contrato entre as companhias foi celebrado em abril deste ano e possuía uma cláusula em que a Âmbar se comprometia com o não pagamento ou oferecimento de vantagens indevidas a qualquer autoridade pública.

“Entretanto, a Petrobras tomou conhecimento das gravações de delações premiadas de executivos do grupo J&F, de que cometeramatos que violam a legislação anticorrupção vigente”, disse a petroleira.

O término original do contrato entre a Petrobras e a Âmbar seria em 31 de dezembro deste ano.

O ex-assessor especial da Presidência e ex-deputado federal Rodrigo Rocha Loures foi preso em 3 de junho acusado por executivos da JBS de negociar 15 milhões de reais em propina para tentar influenciar uma disputa no Cade envolvendo a Petrobras em benefício da empresa dos irmãos Batista. O caso ainda não foi decidido pelo órgão antitruste.

Após colaboração de executivos da JBS com as autoridades, Loures foi seguido pela Polícia Federal e filmado recebendo uma mala com 500 mil reais em uma pizzaria em São Paulo. O dinheiro foi devolvido à Polícia Federal.

Procurada, a Âmbar Energia confirmou ter recebido notificação da Petrobras a respeito da ruptura do contrato de fornecimento de gás e afirmou que irá avaliar o conteúdo do documento para decidir os próximos passos. [nL1N1J50GK​]

A empresa declarou ainda que nunca foi alvo de investigações de atos de corrupção. Frisou ainda que no acordo de leniência assinado pela J&F com o Ministério Público Federal “todas as controladas da holding poderão desenvolver suas atividades empresariais normalmente, sem qualquer restrição, inclusive no relacionamento com empresas estatais”.

“Todos os fatos relatados na colaboração com a Justiça por executivos da J&F se dão no âmbito da holding, e não da Âmbar.”

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. ViP Berbigao

    Monopólio dá nisso. Duvido a justiça concordar. Onde vão obter combustível? Direto do Morales? Era isso q o W. Safadão queria não? kkk

  2. Ernando Tomé

    De fato, a Petrobras tem muita moral pra falar de corrupção. Um corrupto falando de outro. Cláusula anti corrupção! Kkkkkkkkkk os caras exigem isso mais andam longe de ter isso dentro da empresa. Piada do ano….. Kkkkkkk não consigo parar de riiiiiiiiiiii