Petrobras e governo do ES definem condições para Complexo Gás-Químico

Empreendimento vai aumentar a oferta interna de produtos gás-químicos e reduzir a necessidade de importação, segundo a estatal

São Paulo – O presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli de Azevedo, e o governador do Espírito Santo, Renato Casagrande, reuniram-se hoje (8/2) para assinar o protocolo de intenções que define condições para viabilizar um complexo gás-químico no município de Linhares, no Espírito Santo.

Este complexo vai produzir fertilizantes nitrogenados (uréia e amônia), metanol, ácido acético, ácido fórmico e melamina, aumentando a oferta interna destes produtos gás-químicos e reduzindo a necessidade de importação, segundo a Petrobras. A expectativa da estatal é que o complexo atraia a instalação de uma série de outras empresas da cadeia de fertilizantes, ligadas ao setor agrícola e da cadeia de produtos químicos, assim como empresas fornecedoras de serviços de manutenção de equipamentos e locação de máquinas.

O protocolo assinado hoje prevê que a Petrobras buscará, na esfera federal, enquadramento do empreendimento no Repenec (Regime Especial de Incentivos para o Desenvolvimento da Infraestrutura da Indústria Petrolífera nas Regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste). O estado e o município de Linhares se propuseram a empenhar-se na disponibilização do terreno já selecionado pela Petrobras para implantação do complexo gás-químico.

O projeto foi anunciado em 2010 e insere-se no plano estratégico 2010-2014 da estatal, que prevê investimentos de 5,7 bilhões de dólares em empreendimentos gás-químicos. O estado também se propôs a se empenhar na concessão de incentivos fiscais e o município de Linhares, na concessão de tratamento tributário especial para as fases de implantação, ampliação, modernização e diversificação do complexo gás-químico.