Petrobras descarta demissões em programa de corte de custos

A empresa identificou um total de 63 bilhões de reais em gastos realizados ao longo de 2011

Rio de Janeiro – Não haverá corte de pessoal no programa de redução de custos anunciado nesta semana pela Petrobras, informou a estatal nesta sexta-feira.

A companhia viu um potencial preliminar de redução de gastos de até 15 bilhões de reais, cortes esses que ocorreriam no âmbito do Programa de Otimização de Custos Operacionais (Procop), cujas metas finais serão divulgadas em dezembro.

A estatal disse ainda, em email respondendo a perguntas da Reuters, que os gastos com folha de pagamento compõem a base de custos gerenciáveis que foram mapeados e estão distribuídos por todas as atividades, sejam operacionais, de suporte ou de gestão, na proporção da alocação dos empregados em cada atividade.

Mas que não estão previstos cortes de pessoal no programa de otimização de custos.

A empresa identificou um total de 63 bilhões de reais em gastos realizados ao longo de 2011 que poderiam sofrer alguma otimização.

O Procop é um dos programas estruturantes do Plano de Negócios 2012-2016. A estatal não especificou em que período o corte de custos poderia ser feito, mas a redução de despesas está prevista para começar em 2013.

O programa para uma maior eficiência da companhia foi elaborado após a estatal ter registrado o primeiro prejuízo em mais de 13 anos no segundo trimestre e enquanto o governo –controlador da Petrobras– adia planos de um aumento da gasolina na refinaria, o que melhoraria as margens da companhia.