Petrobras compra panetones de emergência, diz VEJA

A petroleira nega que a compra tenha sido feita de emergência e que seguiu seus procedimentos internos de contratação

São Paulo – A coisa para Petrobras parece que não está nada fácil – nem mesmo para prever o Natal. A petroleira resolveu fazer uma dispensa de licitação, em caráter de emergência, para comprar panetones com gotas de chocolate para as festas de fim de ano, segundo informação publicada na coluna Radar,  do jornalista Lauro Jardim, da revista VEJA.

Ainda de acordo com o jornalista, a Petrobras deverá pagar 13 mil reais pela compra de emergência, o que não chega a ser uma fortuna, mas, segundo o jornalista, mostra uma gestão negligente da empresa. A petroleira nega que a compra tenha sido feita de emergência e que seguiu seus procedimentos internos de contratação, buscando, durante três semanas, o menor valor após consulta a quatro fornecedores.

Nesta semana, as ações da petroleira sofreram uma queda de mais de 10%, após o reajuste considerado “tímido” pelo mercado nas bombas de gasolina e diesel.

Segundo informações da Agência Estado, a presidente Graça Foster pretendia aprovar um modelo de reajuste automático para compensar as perdas com as crescentes importações de combustível no mercado internacional.

A mudança, ainda de acordo com a Agência Estado, chegou a ser aprovada pelos diretores, com o objetivo de dar previsibilidade sobre as flutuações de preços. Mas o ministro Guido Mantega, que preside o conselho de administração, barrou a proposta e venceu a queda de braço.

Em meio a tudo isso, a Petrobras teve de desmentir nesta semana a suposta renúncia ou cassação de sua presidente, Graça Foster.

Texto atualizado às 16h37, no dia 8 de dezembro, com o esclarecimento da Petrobras sobre a compra dos panetones.