Petrobras apresenta comercialidade de Franco e Tupi

Para a área de Franco, denominada agora Búzios, o volume contratado, de 3,058 bilhões de barris de óleo equivalente, foi constatado na fase exploratória

São Paulo – A Petrobras comunica que apresentou nesta quinta-feira, 19, à Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) a declaração de comercialidade das acumulações de petróleo e gás de Franco e Sul de Tupi, áreas previstas no contrato de Cessão Onerosa, localizadas no pré-sal da Bacia de Santos.

Para a área de Franco, denominada agora Búzios, o volume contratado, de 3,058 bilhões de barris de óleo equivalente, foi constatado na fase exploratória. “Os reservatórios do pré-sal, nesse campo, são portadores de óleo de boa qualidade (entre 26º e 28 º API)”, informou a Petrobras, em comunicado enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Durante a execução do plano exploratório obrigatório de Franco, a Petrobras adquiriu dados sísmicos 3D em toda a área, perfurou dois poços obrigatórios e seis adicionais. O campo de Búzios está localizado a, aproximadamente, 200 km da costa do Rio de Janeiro em profundidade dágua entre 1.600 e 2.100 metros. O plano de negócios e gestão, 2013 a 2017, planeja a entrada em operação de cinco sistemas de produção para o campo de Búzios até 2020.

Já para a área Sul de Tupi, chamada agora de campo Sul de Lula, o volume contratado por meio da Cessão Onerosa, de 128 milhões de barris de óleo equivalente, foi constatado na fase exploratória. “Os reservatórios do pré-sal, nesse campo, são portadores de óleo de boa qualidade (27º API)”, comunicou a Petrobras.

A petroleira também informou que adquiriu dados sísmicos 3D em toda a área e perfurou um poço, conforme previsto no plano exploratório obrigatório.

O campo de Sul de Lula está localizado a, aproximadamente, 300 km da costa do Rio de Janeiro, em profundidade dagua em torno de 2.200 metros. A produção do campo de Sul de Lula será feita por meio do mesmo sistema de produção previsto para o módulo Extremo Sul do campo de Lula. O plano de negócios e gestão, de 2013 a 2017, planeja o primeiro óleo desse sistema para o 1º trimestre de 2017.

“Com as declarações de comercialidade das áreas de Franco e Sul de Tupi, inicia-se o processo formal de revisão do contrato de Cessão Onerosa, que será realizada bloco a bloco, levando-se em consideração as premissas técnicas e econômicas de cada área”, informou a Petrobras, em comunicado.