Passaredo anuncia aquisição da MAP Linhas Aéreas e cresce em Congonhas

Até então praticamente desconhecida, a Passaredo entra com força no aeroporto mais congestionado do país

A Passaredo Linhas Aéreas anunciou a aquisição de 100% do controle societário da empresa MAP Linhas Aéreas Ltda.  Com a transação, a companhia aérea consolida suas operações em São Paulo e ganha escala com os novos voos em Congonhas, SP, passando a realizar 26 operações diárias no aeroporto.

Até então praticamente desconhecida, a Passaredo entra com força no aeroporto mais movimentado do país. Os horários de pouso e decolagem (slots) que ela recebeu são valiosos e foram alvo de disputa entre companhias aéreas brasileiras. Após o fim da Avianca Brasil, Latam e Gol tentaram comprar os espaços da rival em leilão, mas a Anac Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) anunciou que os 41 slots ficarão com Azul, Map e Passaredo.

Juntas, Passaredo e MAP têm agora 26 slots em Congonhas, o mesmo número que a Azul tinha antes de receber os ativos que eram da Avianca. Mesmo assim, as duas companhias aéreas são responsáveis por menos de 0,5% do mercado de aviação no país e operam com aeronaves menores que as rivais. 

A MAP transportou 38.088 passageiros no primeiro semestre do ano, tendo 0,1% do mercado doméstico e 14 destinos. Já a Passaredo, que tem sede em Ribeirão Preto, transportou 115.464 passageiros entre janeiro e junho, com 0,3% de participação no mercado, segundo dados da Anac.

 

Expansão regional

Com 28 destinos no Brasil, a nova empresa formada pela união das duas companhias aéreas prevê chegar a 37 localidades no país. Segundo comunicado, o objetivo da Passaredo é manter todas as operações atuais da MAP, assim como todos os postos de trabalho nas bases operacionais e na sede da empresa, em Manaus. 

De acordo com José Luiz Felício Filho, presidente da Passaredo, a estratégia contempla aumento no número de voos na Região Norte, além de implementar novos destinos na operação a ser iniciada no aeroporto de Congonhas. Expansão em aeroportos periféricos, como Viracopos e Guarulhos, também faz parte dos planos.

“Sempre tivemos muito interesse na Região Norte, mas a dificuldade logística nunca permitiu nossa expansão para aqueles mercados. Agora, com uma estrutura completa em Manaus, inclusive de manutenção, poderemos dedicar uma frota de aeronaves para assumir as operações regulares no Norte”, disse ele em comunicado.

A expansão das operações trará um importante incremento de receita e equilíbrio financeiro para a empresa, afirma a empresa. “Já estamos preparados para o início dos voos em São Paulo em 27 de outubro, e em breve lançaremos a nova malha na capital paulista. Logo após o início dos voos em Congonhas, iremos trabalhar na expansão da malha da Região Norte”, afirmou o presidente no anúncio. 

Nanica, Passaredo entrou no mapa da aviação brasileira com os novos slots e a aquisição da rival, com planos para alçar novos voos.