Paris Motor Show mostra desafios para carros elétricos

Veículos que emitem menos gases causadores do efeito estufa e carros elétricos serão destaque no evento

O Paris Motor Show começa nesta quinta-feira, e tem como destaque os carros elétricos e os veículos que emitem menos gases causadores do efeito estufa. Dentre as montadoras europeias, a Volkswagen é o exemplo mais lembrado, após passar por processos por ter falsificado resultados sobre a emissão de gases de seus veículos.

Os modelos de BMW, Mercedes e Audi também são cada vez mais comprometidos com questões ambientais, tudo graças ao compromisso da União Europeia com o Acordo de Paris. Assinado em 2016 e rejeitado por Donald Trump, o acordo previa a redução de emissões de gases do efeito estufa até 2030. Com isso, os países do bloco europeu se dispuseram a atingir a máxima de 95 gramas de CO2 por quilômetro rodado até 2020. Não é à toa a discussão sobre veículos elétricos.

O problema é que, para cumprir a promessa, as montadoras terão que repensar a produção dos automóveis. Isso, porém, pode ser que não seja mostrado no belo cenário de Versalhes, onde ocorre o evento. O ano de 2018 foi marcado pelo já considerado fracasso da montadora americana Tesla, que não conseguiu produzir os mais de 2.600 modelos semanais, além de ter sido colocado no bolo de polêmicas e ter seu fundador, Elon Musk, afastado do cargo de diretor-executivo. Na Europa, montadoras como a Volvo também são questionadas por promessas consideradas ousadas demais — a sueca afirmou que só terá carros elétricos a partir do ano que vem.

Mesmo com o recorde na produção e venda de veículos elétricos – 1 milhão em 2017, segundo o site FuelEconomy -, as montadoras também enfrentam o desafio de lidar com a necessária instalação de postos de recarga destes veículos. Mais do que comprar um automóvel econômico e ecologicamente correto, os clientes querem a garantia de que conseguirão recarregá-los em qualquer lugar. Segundo o mesmo site Fueleconomy, até setembro deste ano, somente 22.000 estações de recargas nos Estados Unidos e no Canadá estavam aptas a carregar os veículos. Na comparação, 168.000 postos fornecem a mesma “capacidade” para os automóveis.

Na Europa, 430.000 veículos elétricos e híbridos foram vendidos no último ano, um recorde. Ainda assim, o número é perto de 2% do total de carros vendidos. A previsão de substituição de toda a frota por carros elétricos, segundo as previsões mais recentes, ficou para 2040. O caminho não tem volta, mas é longo, e cheio de percalços.