Para driblar crise, Peugeot deve receber ajuda do governo

País vai buscar ajuda com bancos franceses para tentar renegociar dívidas do braço financeiro da montadora

São Paulo – O governo francês demonstrou, nesta quarta-feira, preocupação com a atual situação da PSA Peugeot Citroën e, por essa razão, traçou um plano para tentar salvar o braço financeiro da montadora – que vem sofrendo com a crise no mercado europeu e – consequentemente – com a baixa demanda de veículos por lá.

De acordo com Pierre Moscovici, ministro financeiro da França, o governo acredita que vai conseguir apoio do setor bancário do país para reforçar as finanças do banco da montadora. “Estamos à procura de soluções que permitam ao Banque PSA ser capaz de encontrar o financiamento necessário”, disse o ministro à imprensa.

A agência de notícias internacional Dow Jones afirmou que o governo francês e os credores da montadora estão bem próximos de fechar um acordo, que tem o objetivo de ampliar o prazo de pagamento da dívida da montadora e lhe conceder uma nova linha de crédito. O valor do novo financiamento seria de 1,5 bilhão de euros, segundo uma fonte ouvida pela agência.

Em julho, a montadora anunciou o fechamento da uma fábrica em Aulnay, na França, e reduzir cerca de 8.000 postos de trabalho em todo o país. A medida tem como objetivo diminuir custos e reestruturar a companhia.

No primeiro semestre do ano, a segunda maior montadora da Europa registrou prejuízo de 800 milhões de dólares na divisão de automóveis.