OOG nega participação em irregularidades na Petrobras

A subsidiária Odebrecht Óleo e Gás negou participação em "qualquer irregularidade" relacionada aos contratos da Petrobras sob investigação da CGU

Rio – A subsidiária Odebrecht Óleo e Gás (OOG) negou nesta quarta-feira, 11, a participação em “qualquer irregularidade” relacionada aos contratos da Petrobras sob investigação da Controladoria Geral da União (CGU).

O órgão determinou hoje nova apuração sobre a empresa, a partir das denúncias feitas pelos delatores da Operação Lava Jato, da Polícia Federal.

A OOG afirmou, ainda, que espera que sua defesa “seja apreciada de forma célere” pela Controladoria.

De acordo com a empresa, o novo processo administrativo é “na verdade, prosseguimento daquele que já havia sido instaurado no âmbito da Petrobras, desde o final de 2014 e, agora, foi assumido pela CGU”.

“A Odebrecht Óleo e Gás nega veementemente a participação em qualquer irregularidade e reafirma que todos os contratos com a Petrobras foram obtidos em respeito à legislação vigente. Em adição, espera que a sua defesa, apresentada em janeiro à Petrobras, seja apreciada de forma célere pela CGU e o bloqueio cautelar revertido com brevidade.”

A empresa participa de licitações para construção, afretamento e operação de embarcações e unidades de produção para a estatal.

Os detalhes das denúncias não foram divulgados pela CGU. Também estão sob investigação as empresas GDK, Promon Engenharia, Andrade Gutierrez, Fidens Engenharia, Sanko Sider, Odebrecht, Odebrecht Óleo e Gás, Odebrecht Ambiental e SOG Óleo e Gás.