Oi comemora venda do negócio operacional da Portugal Telecom

A Oi comemorou a aprovação de assembleia de acionistas da venda da parte operacional da Portugal Telecom à Altice

São Paulo – A Oi, dona da parte operacional da Portugal Telecom (PT-SGPS), comemorou nesta quinta-feira a aprovação por parte da assembleia de acionistas, realizada em Lisboa, da venda do negócio da empresa portuguesa à luxemburguesa Altice.

Em comunicado, a Oi qualificou como “acertada” a decisão, que de acordo com a empresa brasileira, “gera mais valor para todos os acionistas”.

” Com a venda, a PT Portugal fica mais forte para atuar em Portugal e a Oi fica mais forte para operar no Brasil, com redução das respectivas alavancagens”, acrescentou a nota.

Os acionistas da operadora PT-SGPS aprovaram hoje, por grande maioria, a venda do negócio operacional da companhia em território português a Altice por 7,4 bilhões de euros.

Com este sinal verde dos acionistas, a brasileira Oi, dona da parte operacional da PT Portugal pelos acordos de fusão com a PT-SGPS, receberá os 7,4 bilhões da venda, que lhe servirão para reduzir seu nível de endividamento.

“O processo de venda é fundamental, pois coloca as duas empresas em melhores condições financeiras e operacionais e, no caso da Oi, representa também a perspectiva concreta de a companhia ter participação importante no processo de consolidação do mercado de telecomunicações brasileiro”, afirma a nota.

Após uma longa reunião, votaram a favor 97,81% do capital representado, entre eles os acionistas de referência do Novo Banco (herdeiro do Banco Espírito Santo), o grupo português Ongoing e o grupo Visabeira.

A outrora joia empresarial de Portugal, que conta com mais de um milhão de clientes com as operadoras de TV a cabo Urino e Sapo, passará às mãos da Altice – desde que obtenha a aprovação das entidades reguladoras – após um complexo e demorado processo de venda.

A Oi espera que o aval dos reguladores portugueses seja dado ainda no primeiro semestre e advertiu, que independente do prazo para essa decisão, a empresa continuará em seu “processo de transformação operacional” e de “redução-controle de custos”.

Com a expectativa da aprovação da venda por parte dos acionistas em Portugal, as ações preferenciais da Oi na bolsa de São Paulo dispararam e terminaram o pregão liderando os lucros do Ibovespa com um salto de 22,12%.

Portugal Telecom e Oi tinham alcançado em 2013 um acordo para fundir-se com o propósito de criar, como foi divulgado por ambas partes então, um gigante das telecomunicações em nível mundial.