OGX negocia dívida de 3,6 bilhões de dólares em Nova York

Companhia de Eike Batista deve a fundos "abutres" e empresas como a Petronas

São Paulo – Representantes da OGX chegam hoje à Nova York com a tarefa de negociar a dívida de 3,6 bilhões de dólares da empresa. Entre os credores da petroleira de Eike Batista, estão fundos “abutres” e empresas como a Petronas.

De acordo com o jornal Valor Econômico, a estatal da Malásia é a grande esperança de salvação para companhia brasileira. Um aporte de 250 milhões de dólares por parte da empresa asiática seria suficiente para quitar as dívidas mais urgentes e financiar a entrada em operação de plataformas em Tubarão Martelo, principal campo da OGX hoje.

Entretanto, a Petronas teme fazer investimentos na petroleira de Eike em função da complicada situação financeira da companhia. A empresa, que tinha 326 milhões de dólares no fim do segundo trimestre, hoje teria pouco mais de 200 milhões em caixa.

Para piorar a situação, a OGX anunciou ontem que as reservas em Tubarão Martelo correspondem a um terço da expectativa inicial. Segundo o Valor, uma saída para a OGX seria vender o campo para a Petronas. Mas a empresa não quer se desfazer de seu principal ativo nem sofrer questionamento por parte de outros credores – que poderiam entender o negócio como fraude.