O que o CEO do Groupon fez de errado?

Especialista em negócios de internet explica que Andrew Mason, demitido na quinta-feira, superestimou o seu negócio

São Paulo – Na última quinta-feira, Andrew Mason, fundador e CEO do Groupon, foi demitido. Após apresentar resultados financeiros decepcionantes, o board executivo da empresa decidiu pela destituição de Mason do seu cargo. Sua imagem perante os analistas de mercado já não era das melhores. Mas, afinal, onde Mason errou?

Para Lou Kerner, presidente e fundador de The Social Internet Funds, o maior erro de Mason foi de visão dos negócios de compras coletivas.  Faltou uma percepção mais apurada do comportamento do consumidor que queriam atingir. “Eles superestimaram a capacidade de geração de valor da ferramenta, acharam que mais pessoas usariam a plataforma do que o que efetivamente ocorre”, diz. Desde o ano passado, a empresa já lutava contra a queda nas vendas de cupons de desconto.

Com isso, consequentemente, a plataforma também perde valor para seus mantenedores, ou seja, as empresas ofertantes. “Os fundamentos da empresa não estavam adequados à sua capacidade de atuação”, lembra Kerner. No entanto, o especialista lembra que esse é um erro inerente aos negócios de internet, uma vez que é muito difícil quantificar de forma exata o potencial de uma empresa com esse objeto de atuação. 

Essa megalomania resultou em uma sequência de erros de percepção do gestor que gastou dinheiro onde não devia e não se atentou aos ganhos de sinergia dos negócios. ”Fizeram diversas aquisições e não integraram as empresas de forma eficiente”, explica Kerner. Entre as aquisições está a compra da CommerceInterface nos EUA. “Cresceram rápido demais.”

Mesmo com a saída de Mason, o futuro do Groupon não é dos mais promissores. “Eu vejo futuro sim para a empresa, mas um futuro bem menor do que o que os investidores e a própria empresa esperava”, afirma o especialista. 

Resultados

No ultimo dia 27, a empresa apresentou ao mercado Resultados nada animadores para o quarto trimestre do ano passado. A empresa teve uma receita de US$ 638,3 milhões, com prejuízo de 12 centavos por ação. O mercado esperava US$ 640 milhões em resultado.


Segundo Doug Anmuth, analista de empresas de internet do J.P. Morgan, as expectativas de 2013 também ficaram aquém do esperado pelo mercado. “O Groupon ainda está nos primeiros estágios na consolidação de um portfólio de ofertas com parceiros americanos”, afirma o relatório publicado na quinta-feira.

Anmuth reitera que as operações da empresa em outros países dificilmente terão uma lucratividade plausível sem uma redução de custos. “Esperamos uma pressão nas ações do Groupon no médio prazo e mantemos nossa classificação neutra para os papéis”, destaca o relatório.

Rumores

Desde 2010, o mercado já andava torcendo o nariz para o executivo. O motivo: ele teria declinado a uma oferta do Google para compra da companhia pela bagatela de US$ 6 bilhões. De lá para cá, Mason só viu sua situação piorar. Com o filme queimado no mercado, em 30 de novembro ele resistiu à uma primeira pressão para sua saída. O resultado foi uma queda de 10% nas ações da companhia.

Segundo o Wall Street Journal, durante o mês de janeiro um dos diretores do Groupon saiu em busca de possíveis substitutos para Mason. Segundo a Forbes, o executivo ganhava US$ 5,19 milhões em salário anual, ações e bônus.

O CEO do Groupon já vinha lidando de forma bem humorada com os rumores de sua demissão. Em novembro do ano passado, durante o Business Insider’s Ignition, Mason afirmou que ele mesmo seria o primeiro a demitir um CEO com resultados similares ao dele. “Nossas ações caíram 80% desde a abertura de capital um ano atrás [em 2011]. Seria estranho se o board executivo não estivesse discutindo se eu sou ou não o cara certo para a posição”, afirmou.

Queda livre

Na abertura de capital, ao final de 2011, a companhia foi avaliada em US$ 16,5 bilhões, tendo sido protagonista de uma das principais ofertas públicas no setor de tecnologia – dividindo os holofotes com nada menos que o Google o Facebook.

O estilo informal era a marca registrada do Groupon. No entanto, o mercado se inundou de competidores muito similares, o que gerou muita crítica e uma queda significativa no valor de mercado da empresa, que passou para US$ 2,97 bilhões.Atualmente a empresa tem 10 mil funcionários espalhados em 48 países. 

Carta

Como despedida, Mason deixou uma carta muito bem humorada, a seu estilo. Quando sua demissão foi anunciada publicamente, Mason já não estava mais dentro dos escritórios da empresa.


Veja a tradução da carta enviada pelo executivo aos funcionários do Groupon.

(Isto é para os funcionários do Groupon, mas eu estou postando publicamente, já que vai vazar de qualquer jeito)

Pessoas de Groupon,

Depois de quatro anos e meio intensos e maravilhosos como CEO da Groupon, eu decidi que eu gostaria de passar mais tempo com minha família. Brincadeirinha – fui demitido hoje. Se você está se perguntando por que… você não estava prestando atenção. De métricas controversas no nosso primeiro semestre à nossa fragilidade material de dois trimestres em falta com as nossas próprias expectativas e expectativas de um preço das ações que está pairando em torno de um quarto do nosso valor de listagem, os acontecimentos do último ano e meio, falam por si. Como CEO, eu sou responsável.

Vocês estão fazendo coisas incríveis no Groupon, e merecem que o mundo de a vocês uma segunda chance. Estou atrapalhando esse caminho. Um novo CEO deve oferecer a vocês essa chance. A equipe de executivos está alinhada por trás da estratégia que temos compartilhado ao longo dos últimos meses, e eu nunca vi vocês trabalhando juntos de forma mais eficiente na posição de uma empresa global – está na hora de dar ao Groupon uma válvula de escape para todo o barulho do público.

 Para aqueles que estão preocupados comigo, por favor, não fiquem – eu amo Groupon e estou profundamente orgulhoso do que criamos. Eu estou tranquilo quanto a ter falhado nessa parte da nossa jornada. Se Groupon fosse o Battletoads, seria como eu se eu fizesse todo o caminhe até o Terra Tubes sem morrer na minha primeiríssima vez no jogo. Eu sou muito sortudo por ter tido a oportunidade de levar a empresa até aqui com todos vocês. Eu vou agora levar algum tempo para descomprimir (para sua informação, estou procurando um bom spa para pergeru meu Groupon 40, se alguém tiver alguma sugestão) e, então talvez vá descobrir como canalizar essa experiência para algo produtivo.

Se houver algum rastro de sabedoria que esse peregrino gostaria de transmitir a vocês: tenham coragem de começar a partir do consumidor. Meus maiores arrependimentos são os momentos que eu deixei a falta de informação substituir minha intuição sobre o que é melhor para nossos consumidores. Essa mudança de liderança dará alguma margem de manobra para que os maus hábitos sejam rompidos e a felicidade sustentável dos consumidores sejam entregues – não percam a oportunidade

Vou sentir uma falta terrível de vocês.

Com amor,

Andrew

Atualizada às 16h50