3 inspirações para a gestão, por Acácio Queiroz, da Chubb

Livros, líderes e filmes inspiram a gestão de diversos executivos; veja a seleção de Acácio Queiroz, presidente da Chubb Seguros

São Paulo – Foi durante a juventude que Acácio Queiroz, presidente da Chubb Seguros, teve contato com boa parte dos livros, filmes e líderanças que mais marcaram a sua careira. Aos “20 e poucos” conheceu o clássico de Sun Tzu, “A Arte da Guerra”, que, até hoje, é o livro que mais marcou sua vida profissional. “Ele trouxe conceitos estratégicos e, apesar de ter sido escrito no século XIV antes de Cristo, ele traz conceitos aplicáveis a qualquer momento”, diz. Veja a seguir as três inspirações de Acácio Queiróz na literatura, no mundo empresarial e no cinema.

Livro

“O livro que mais marca a carreira de um executivo é aquele que ele lê no inicio da carreira e ajuda a ter êxito no que ele faz. No meu caso específico é A Arte da Guerra, de Sun Tzu. Chamou muito a minha atenção, porque ele trouxe os primeiros conceitos estratégicos e, apesar de ter sido escrito no século XIV antes de Cristo, ele trazia conceitos que você sempre precisa interpretar e para tirar uma lição depois. Por exemplo, aprendi nesse livro que se você conhece a si próprio e ao concorrente, você certamente será vitorioso. Isso me marcou muito. Outro item que me chamou a atenção foi sobre inteligência emocional. O livro lembra da importância de manter o olhar emocional no foco. Quem entra equilibrado emocionalmente, já entra um passo a frente em qualquer situação. São estratégias bélicas, mas que o mundo dos negócios acabou usando bastante.”

Líder

“Meu guru é o Peter Drucker. Ele foi o pai da administração moderna e sempre fui muito antecipado ao seu tempo. Li alguns dos seus livros e acho muito interessante a forma como ele traz as experiências da prática para a teoria, e não o inverso. Acaba ficando muito simples de compreender seu raciocínio.”


 

Filme

“O filme ‘Patton :Rebelde ou herói’ trouxe muitos aprendizados porque o general protagonista atuava motivando seus funcionários e, ao mesmo tempo, cobrava muito e era um tanto rebelde, não seguia exatamente a ordem dos seus superiores.