Nubank avança mais e passa a oferecer empréstimo pessoal

A ideia é que o cliente consiga gerir toda transação pelo celular; modalidade é mais um passo da fintech em direção aos grandes bancos.

O banco digital Nubank passará a oferecer empréstimo pessoal a partir do dia 11 de fevereiro. A modalidade é mais um passo da fintech brasileira em direção aos grandes bancos.

Incialmente o serviço será oferecido somente a alguns clientes do cartão de crédito e da conta digital, num período de testes. Eles poderão fazer a simulação do empréstimo em tempo real pelo próprio app.

A ideia é que o cliente consiga gerir toda transação pelo celular. “Você diz o valor que precisa, escolhe o número de parcelas e vê, na hora, os juros e o valor total e mensal que irá pagar. É possível simular diversas possibilidades, quantas vezes quiser”, explica o banco em comunicado.

O aplicativo também vai mostrar quanto a pessoa já pagou do empréstimo e quanto ainda falta pagar. Caso queira antecipar o pagamento de alguma parcela, o desconto dos juros também é feito pelo app. O cliente terá até 90 dias para pagar a primeira parcela e, então, até 24 meses para terminar de pagar o empréstimo.

As taxas de juros variam conforme o perfil do contratante e o número de parcelas. Inicialmente, os juros estarão entre 2,1% e 5% ao mês e os empréstimos serão oferecidos a cerca de 600 mil clientes da base da empresa. A ideia também é permitir empréstimos com tíquetes menores, começando em até R$ 30,00.

“O que acontece hoje no mercado brasileiro é que os bons pagadores acabam subsidiando aqueles com um risco ruim”, disse o presidente da empresa David Vélez à Bloomberg.

A oferta de empréstimo pessoal é mais um passo do Nubank em direção aos grandes bancos brasileiros. E a empresa faz questão de se contrapor a essas instituições em seus comunicados. “Simulações confusas, tarifas escondidas, seguros que só encarecem as parcelas, falta de transparência sobre as taxas de juros… Dá pra fazer uma lista enorme com os problemas que encontramos nos produtos atuais”, diz comunicado da fintech.

Histórico

O Nubank chegou ao mercado em 2013 e tornou conhecido por seu cartão de crédito sem taxa de anualidade e com administração 100% online. O cartão roxo fez sucesso num ambiente marcado pela concentração em grandes instituições financeiras – com serviços caros muitas vezes pouco transparentes. 

O passo seguinte foi oferecer oferecer também contas digitais. Em dezembro de 2018, a fintech anunciou também a função débito e a possibilidade de saque em dinheiro para quem tem sua conta digital. O anúncio veio depois que o Nubank recebeu aval do Banco Central para atuar como instituição financeira.

Hoje, a startup afirma ter emitido cinco milhões de cartões de crédito, o que colocaria entre as cinco maiores emissoras de cartões do país e o maior desafiante de banco do mundo fora da Ásia. A fintech também tem 2,5 milhões de inscritos para ter uma conta digital, serviço lançado há cerca de um ano.

O Nubank já captou 707,6 milhões de dólares em aportes. O valor inclui um recente investimento de 180 milhões de dólares da gigante chinesa Tencent. Hoje, o valuation da empresa gira na casa dos 4 bilhões de dólares.

Para o estudo Fintech 100 2018, elaborado pela H2 Ventures com a KPMG, o Nubank é a sétima fintech mais inovadora do mundo.