Novo presidente da ANJ destaca jornais regionais

Carlos Lindenberg Neto sucede, entre os anos de 2012 até 2014, a jornalista Judith Brito, da Folha de S.Paulo

São Paulo – A Associação Nacional de Jornais (ANJ) elegeu, durante o congresso, como novo presidente, um representante de mídia regional – o diretor-geral da Rede Gazeta do Espírito Santo, Carlos Lindenberg Neto, 46 anos. Ele sucede, para o biênio 2012-2014, a jornalista Judith Brito, da Folha de S.Paulo, que comandou a entidade durante quatro anos.

A cerimônia foi acompanhada por conterrâneos de “Café”, como Lindenberg é chamado – o governador capixaba Renato Casagrande (PSB) e o senador Ricardo Ferraço (PMDB). Estiveram presentes à posse o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), o prefeito paulistano Gilberto Kassab (PSD) e o presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia (PT). Representando a Secretaria de Comunicação Social, estava o secretário executivo Roberto Messias.

O novo presidente da ANJ – que atualmente reúne 154 jornais, responsáveis por 90% da circulação diária no país – disse “sentir-se honrado” com a missão de defender a liberdade de imprensa e ressaltou o papel dos jornais regionais, valorizados com sua escolha para o cargo. “Jornais regionais são fundamentais em um país como o nosso, formado por muitos Brasis. E ninguém representa melhor as realidades locais que os jornais regionais”, afirmou Lindenberg.

“Vir de um deles e representar os 154 jornais de todo o País filiados à entidade é prova da valorização desses veículos de médio porte que batalham pela informação Brasil afora”, completou.

No encontro, o governador Alckmin destacou como “dever do Estado” a prestação de contas por meio da transparência de informações: “Temos que usar os meios de informação, as tecnologias, para transparência, para melhorar a qualidade da administração, de forma a evitar abusos”.

Os demais presentes destacaram a importância da liberdade de imprensa para a democracia. “A contribuição que a imprensa dá para o nosso trabalho é essencial e insubstituível, seja nas críticas firmes, às vezes bastante duras, nas sugestões e cobranças, enfim, no seu trabalho diário, os jornalistas participam ativamente na definição dos rumos da cidade”, disse o prefeito Kassab.

Para Renato Casagrande, a vigilância pela liberdade de imprensa deve ser permanente e a adaptação disso aos novos modelos tecnológicos é a grande questão atual. O deputado Marco Maia destacou a importância dos jornais como “fundamentos para fortalecer a democracia, um instrumento concreto para garantir a liberdade”.