Nova Duratex quer expandir comércio com exterior

Empresa originada da fusão da Satipel com a Duratex é a oitava maior em produção de painéis de madeira; meta é torná-la grande exportadora

A fusão entre Satipel e Duratex anunciada nesta segunda-feira (22/06) cria uma empresa que fica entre as oito maiores do mundo em produção de painéis de madeira. Com isso, a nova Duratex nasce com a meta de expandir suas vendas ao exterior, que hoje correspondem a cerca de 5% do faturamento total das duas companhias.

“Nossa meta é sermos o produtor de custo mais baixo no mundo e, de preferência, com maior margem de revenda”, afirmaram Salo David Seibel e Henri Penchas, respectivamente, novo presidente do conselho de administração e novo presidente executivo da nova empresa.

Processo de fusão

Por ora, porém, o foco ficará com a conclusão do processo de fusão, que contará com 14 grupos de trabalho, alem do comitê de integração, para unir as operações da Satipel e da Duratex nos próximos meses. O total de sinergias que o negócio pode trazer não foi contabilizado, mas a empresa estima que seja de “dezenas de milhões de reais por ano”.

A união das companhias começou a ser negociada em março deste ano, por iniciativa da Satipel, que desejava se unir a outra empresa grande do setor, inspirada pela bem-sucedida fusão do Itaú-Unibanco no fim de 2008.

Longo prazo

Apesar da intensa alta que os papéis de ambas as empresas apresentaram nesta sessão, o próprio Seibel minimizou a importância do desempenho no mercado financeiro. Sua perspectiva é que a fusão traga frutos, principalmente, em longo prazo, com a gradativa recuperação econômica mundial, mas em especial, a brasileira, já que esse fator impulsionaria a demanda pelos produtos da companhia.

“Acreditamos que nossa associação está sendo feita em um momento muito oportuno, com o governo brasileiro investindo em habitação popular e diminuindo os juros. O que importa é o novo momento do Brasil, resistindo melhor à crise e saindo fortalecido dela”, reforçou.

Ações

O dia foi de forte perda para o Ibovespa, principal índice de referência para a bolsa brasileira, que caiu 3,66%. Com o anúncio de fusão, as ações ordinárias da Duratex (DURA3) e da Satipel (SATI3) dispararam, respectivamente, 35,89% e 21,28%, fechando cotadas a 20,00 e 7,61 reais. Os papéis preferenciais da Duratex (DURA4), que têm maior liquidez, tiveram valorização de 7,22%, sendo cotados a 20,50 reais.

Para aqueles que possuem ações das companhias, está garantido o direito de participar da operação de aumento de capital da nova Duratex, ainda sem data definida para ocorrer. O processo de reorganização societária prevê que as ações da Duratex serão substituídas por papéis da Satipel, que emitirá 348.785.970 ações ordinárias, garantindo a entrada da companhia na classificação de Novo Mercado.