Nos EUA, Walmart pede doações de alimentos para funcionários

Em Canton, nos EUA, companhia pede aos clientes que doem alimentos para seus funcionários. Ação levantou questões sobre baixos salários pagos pela empresa

São Paulo –  Uma unidade do Walmart em Canton, no estado de Ohio, nos Estados Unidos, está arrecadando alimentos para doar aos próprios funcionários. A medida gerou questionamentos sobre os salários pagos pela companhia, segundo o jornal local Cleveland Plain Dealer.

De acordo com a publicação, na loja em Canton, ao lado de caixas de plástico, há um cartaz que diz: “por favor, doe alimentos. Assim nossos associados poderão ter um jantar no dia de Ação de Graças”. 

A medida deixou clientes da cidade revoltados. “Este Walmart teve a audácia de pedir a trabalhadores de baixa renda para doar alimentos a outros trabalhadores de baixa renda – para mim, isso é um ultraje moral”, teria dito a consumidora Norma Mills ao Plain Dealer.

Segundo o jornal, um porta-voz da companhia defendeu a iniciativa dizendo que ela indica que os colaboradores do Walmart se importam uns com os outros. “Isto faz parte da cultura da empresa para unir os funcionários e cuidar deles quando eles enfrentam dificuldades extremas”, teria afirmado Kory Lundberg. 

Ao Plain Dealer, o porta-voz teria afirmado que, a nível nacional, o salário dos funcionários do Walmart é de 12, 87 dólares a hora. Para ser considerado um empregado de tempo integral, é preciso trabalhar pelo menos 34 horas por semana. Em média, os funcionários em tempo integral da empresa trabalham de 37 a 38 horas semanais, com um salário anual que chega aos 25 mil dólares, segundo a publicação. 

Esta não é a primeira vez em que os valores pagos aos funcionários do Walmart são questionados. Há 11 dias, 50 pessoas foram detidas por protestar contra os baixos salários da companhia, em Los Angeles.