Nissan pretende nomear novo presidente até 20 de dezembro, diz fonte

Escolha ocorre após a demissão do brasileiro Carlos Ghosn do cargo na quinta-feira

Tóquio – A Nissan quer nomear um novo presidente dentro de um ou dois meses, de preferência até a próxima reunião de seu conselho de administração, marcada para a semana do dia 20 de dezembro, afirmou uma fonte familiarizada com o assunto, após a demissão do brasileiro Carlos Ghosn do cargo na quinta-feira.

A indicação será feita pelo novo comitê de consultoria da montadora japonesa que inclui três diretores independentes da empresa.

O novo presidente ficará no cargo “pelo menos” até a próxima reunião de acionistas da Nissan. Nenhuma decisão para promover um encontro extraordinário de acionistas foi tomada, acrescentou a fonte. O próximo encontro regular é esperado para junho de 2019.

Um novo comitê especial comandado por diretores independentes para discutir melhoras na gestão baseadas em consultoria externa irá muito provavelmente propor o estabelecimento de um comitê para selecionar um presidente permanente, disse a fonte.

“É um processo de dois estágios”, disse a fonte. “Primeiro temos que decidir sobre um presidente temporário o mais rápido possível.”

A Nissan não estava disponível para comentar o assunto nesta sexta, um feriado público no Japão.

O conselho da Nissan votou de forma unânime pela demissão de Ghosn, que foi preso na última segunda-feira por acusações de fraude financeira, incluindo a não declaração de rendimentos e uso pessoal de ativos da companhia.