Nike deixa de vender seus produtos na Amazon

A empresa interrompe um acordo fechado em 2017 com a gigante americana do comércio digital

A Nike decidiu parar de vender suas roupas e sapatos diretamente na plataforma Amazon, interrompendo assim um acordo fechado em 2017 com a gigante americana do comércio digital, anunciou a fabricante de roupas esportivas nesta quarta-feira (13).

“No âmbito dos esforços da Nike para melhorar a experiência do consumidor por meio de relacionamentos diretos e pessoais, decidimos encerrar nossa experiência piloto com a Amazon Retail”, disse um diretor da Nike.

A marca afirmou, no entanto, que continuará a usar a Amazon para armazenar seus dados on-line e vários serviços digitais.

Depois de rejeitar essa opção por anos, a Nike concordou em junho de 2017 em oferecer diretamente seus produtos na amazon.com para enfrentar a queda de suas vendas e a concorrência da Adidas e da Under Armour.

O acordo com a Amazon significou que este último removeu as imitações dos produtos Nike de sua plataforma e deixou de aceitar vendas de itens de marcas esportivas por intermediários.

O anúncio da Nike ocorre menos de um mês após a nomeação de John Donahoe como diretor-executivo, que substituirá Mark Parker à frente da empresa no início de 2020.

Em Wall Street, as ações da Nike subiram 1,20% após o anúncio. As da Amazon caíram 0,51%.