Nasa investigará uso de drogas na SpaceX e Boeing

Investigação ocorre depois de que Elon Musk, proprietário da SpaceX, fumou maconha durante uma entrevista ao vivo em setembro

A Nasa confirmou, nesta terça-feira, que investigará sobre o uso de drogas e a segurança de seus provedores SpaceX e Boeing, depois de que Elon Musk, proprietário da primeira, fumou maconha durante uma entrevista ao vivo em setembro.

O chefe da agência espacial americana, William Gerstenmaier, disse ao The Washington Post que a investigação se concentrará em “tudo que possa ter um impacto na segurança”.

Em um comunicado enviado à AFP, a Nasa confirmou que nos próximos meses “realizará um estudo de avaliação da cultura (de usos e costumes) em coordenação com nossos sócios privados, para se assegurar de que as empresas cumprem os critérios da Nasa de segurança no trabalho, incluindo o respeito a um ambiente livre de drogas”.

A SpaceX e a Boeing são as duas companhias escolhidas pela Nasa para transportar astronautas ao espaço a partir de 2019.

A Nasa não confirmou oficialmente que estas investigações estão relacionadas com o caso do cigarro de maconha de Musk, mas o fato de que se refira às drogas em sua declaração parece indicar isso, e três fontes o confirmaram ao The Washington Post.

No início de setembro, o polêmico magnata passou duas horas ao vivo em uma entrevista de rádio, filmada e transmitida na internet, bebendo uísque e fumando maconha.

Sem mencionar o caso, o chefe da Nasa, Jim Bridenstine, disse ao Washington Post que a agência espacial dos Estados Unidos queria tranquilizar o público sobre os lançamentos de astronautas planejados para 2019 pelas duas companhias.

“Temos que mostrar aos americanos que quando você põe um astronauta em um foguete, ele está a salvo”, afirmou.

A SpaceX foi certificada recentemente pela Nasa para lançar suas missões mais complexas e caras.

“A SpaceX está promovendo ativamente a segurança no lugar de trabalho, e confiamos em que nossos programas antidrogas entre nosso pessoal e em nossos lugares de trabalho superem os critérios contratuais”, disse a companhia em um comunicado.

A Boeing declarou que a cultura interna garante “a integridade, segurança e qualidade de nossos produtos, nosso pessoal e seu entorno profissional”.