Não há evidências de propina a empregados, diz Petrobras

Estatal afirma ainda que durante os trabalhos da comissão interna foram prestados esclarecimentos à Controladoria Geral da União e ao Ministério Público Federal

São Paulo – A Petrobras informa que a Comissão Interna de Apuração, constituída em 13 de fevereiro para averiguar as denúncias de supostos pagamentos de suborno a empregados da companhia, envolvendo a empresa SBM Offshore, concluiu que, baseada nos trabalhos realizados e restrita à sua competência regulamentar, não encontrou fatos ou documentos que evidenciem pagamento de propina a empregados da Petrobras.

Em anúncio publicado nesta segunda-feira, 31, nos jornais, a empresa afirma ainda que durante os trabalhos da comissão interna foram prestados esclarecimentos à Controladoria Geral da União e ao Ministério Público Federal.

“O relatório final da comissão interna de apuração da Petrobras será encaminhado à Controladoria Geral da União, ao Tribunal de Contas da União e ao Ministério Público Federal”.

Sobre a Refinaria de Pasadena, a estatal informa que constituiu em 24 de março outra comissão, coordenada pela auditoria interna, para apurar os processos de compra da refinaria localizada no Texas.

O prazo previsto é de 45 dias para apresentar suas conclusões.

A empresa destaca que desde dezembro de 2012 vem atendendo aos órgãos públicos e aos órgãos de controle (Controladoria-Geral da União, Tribunal de Contas da União, Ministério Público, Comissão de Valores Mobiliários e Requerimentos de Informações de Parlamentares), fornecendo informações e documentos sobre o processo de compra da refinaria.

“O relatório final da Comissão Interna de Apuração da Petrobras será encaminhado à Controladoria-Geral da União, ao Tribunal de Contas da União e ao Ministério Público Federal”, afirma.