Na mira para ser privatizada, Sabesp tem lucro de R$ 545 milhões

Lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização, conhecido como Ebitda, teve queda de 10,9%, para R$ 1,2 bilhão de reais

São Paulo — A Sabesp teve lucro líquido de 454,4 milhões de reais no segundo trimestre, um salto de quase 150% ante o mesmo período de 2018, conforme dados divulgados pela companhia de água e saneamento do estado de São Paulo na quarta-feira.

A empresa, alvo de interesse de privatização pelo governo estadual, porém, teve queda de 10,9% no resultado operacional medido pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado, para 1,2 bilhão de reais.

A receita operacional líquida teve crescimento de 8,9%, para 4 bilhões de reais, mas custos e despesas, que consideram os custos de construção, subiram 22,1%, para 3,2 bilhões de reais.

O volume faturado no segundo trimestre subiu 2,6%, com declínio de 0,2% em água, mas alta de 6,1% em esgoto.

No segundo trimestre, o índice de perdas de água foi de 29,8%, ante 30% em igual intervalo de 2018.

A empresa elevou em 4,6% sua base de trabalhadores no período, para 14,156 mil, segundo o balanço.

Em julho, o governador de São Paulo, João Doria, confirmou que pretende privatizar a companhia paulista durante entrevista ao canal de TV da Bloomberg, em Londres.

“É a maior empresa (de saneamento) da América Latina. Estamos convencidos que é a melhor maneira…Esperamos levantar quase 20 bilhões.”

Desde o início do ano, as ações da companhia tem se valorizado. Em 2 de janeiro, no primeiro pregão do ano, elas valiam R$ 34,37. Nesta quarta-feira, elas fecharam em R$ 55,96.