Modelo americano inspirou a Gol

O modelo de negócios da Gol foi inspirado na idéia de Herb Kelleher, fundador da Southwest Airlines, uma das mais sólidas companhias aéreas americanas. A Southwest lançou o conceito de baixo custo, baixa tarifa na década de 70 e foi copiada por novas companhias dentro e fora dos Estados Unidos. No total, são 22 empresas que adotaram o modelo em todo o mundo.

O modelo de negócios da Southwest, entretanto, precisou ser adaptado pela Gol para funcionar com eficiência no mercado brasileiro de aviação. São duas diferenças relevantes entre os dois mercados: a densidade da demanda e vendas por agentes de viagem.

Nos Estados Unidos, os consumidores de passagens de avião estão espalhados pelo país, ao contrário do que acontece no Brasil. Oitenta por cento do mercado nacional se concentra nas regiões sul, sudeste e parte da nordeste. Isso significa que a Gol mudou a estratégia de rotas curtas e sem conexão que a Southwest utiliza. Trata-se de uma pequena adaptação, mas que influi no custo final das operações. Para contrabalançar os gastos a mais com, por exemplo, troca de bagagens entre aviões em conexão, a Gol teve de se esforçar para gastar menos em outras áreas.

Quanto aos agentes de viagem, eles não participam do modelo da Southwest, como acontece com a Gol no Brasil. As passagens são tiradas diretamente pelo consumidor americano, via internet. Os agentes de viagem foram eliminados no do esquema baixo custo, baixa tarifa porque para cada passagem vendida por um agente, a empresa aérea paga uma porcentagem para ele. Como no Brasil o agente de viagens ainda é o principal meio de compra utilizado pelos passageiros — e como a internet é menos popular que nos Estados Unidos — a Gol não teve saída.

Saiba mais sobre o modelo de negócios da Southwest nas reportagens da revista americana Fortune de março/2001 e fevereiro/2002.