Microsoft tenta acalmar funcionários após saída de Ballmer

Para acalmar os ânimos, a empresa está informando aos trabalhadores que o plano de reorganização de Ballmer continuará em andamento

Seattle – A Microsoft Corp. está informando aos seus funcionários que o plano de reorganização do presidente saliente Steve Ballmer continuará em andamento, procurando acalmar os gerentes sênior preocupados com que a busca de um sucessor desorganize os esforços de recuperação.

Alguns membros da equipe sênior de liderança enviaram um e-mail para o pessoal em 23 de agosto onde afirmavam que continuam comprometidos com a visão de Ballmer e a reorganização, segundo três fontes do setor.

Alguns executivos da Microsoft receberam mais ofertas de trabalho de outras companhias desde a implantação do plano de reestruturação em julho.

Outros poderiam sentir-se tentados a abandonar a companhia depois do pagamento de bonificações e a concessão de ações no final de agosto, conforme as fontes, que solicitaram o anonimato pelo caráter privado do comunicado.

Mesmo na busca de um presidente que poderia mudar o rumo, o conselho da Microsoft precisa que os gerentes continuem debruçados no plano de reorganização, a maior transformação em mais de uma década.

Ballmer está focando-se no hardware e nos serviços web e abandonando o software da indústria de computadores, atualmente em declínio. Assim, pretende-se colocar a Microsoft numa melhor posição para concorrer com a Google Inc., a Facebook Inc. e a Apple Inc. em dispositivos móveis e publicidades online.

Ballmer vai embora

Em 23 de agosto, Ballmer – presidente da Microsoft desde janeiro de 2000 – anunciou sua intenção de aposentar-se dentro de 12 meses. Durante sua administração, a Microsoft lutou para conservar sua relevância à medida que os consumidores passaram de utilizar seu software básico Windows para PCs para dispositivos móveis da Apple e outras companhias.

A Facebook e a Google também passaram à frente nas redes sociais e publicidades online, áreas nas quais a Microsoft continua fraca.


A Microsoft não pode se dar ao luxo de esperar se um presidente novo alterará o plano de Ballmer. A companhia corre atrás em celulares e tablets e sua receita principal, obtida com o Windows, está recuando.

As ações da companhia caíram 37 por cento durante a presidência de Ballmer. No mês passado, a Microsoft também informou que as vendas e os lucros ficaram abaixo das estimativas dos analistas.

Maior incerteza

Os executivos e funcionários da Microsoft no processo de deslocar-se para novas divisões e cargos não sabem se uma nova administração lhes solicitará mudar de função novamente, disse uma das fontes do setor. Alguns executivos, descontentes com seus novos cargos, poderiam abandonar a companhia depois dos pagamentos de bônus e ações no final de agosto, disse outra fonte.

Alguns executivos da Microsoft também estão sendo procurados por recrutadores e companhias para abandonar a companhia desde o começo da reorganização. Esses executivos esperam que a procura se intensifique enquanto não for eleito um novo presidente, disse outra fonte do setor.

A reorganização deixou a Microsoft com líderes sênior que não são sênior há muito tempo. Dos quatro executivos na chefia das unidades de engenharia criadas na reorganização, três contam com menos de três anos de experiência à frente de uma divisão da Microsoft.

O conselho pode minimizar os problemas substituindo Ballmer em entre quatro e seis meses ao invés de esperar um ano, disse Pat Becker Jr., a gerente de fundos na Becker Capital Management Inc. em Portland, Oregon, que possui ações da Microsoft. Isso permitiria ao novo presidente preparar uma linha de produtos mais bem-sucedida para o Natal de 2014.

“Alguém que começasse perto do primeiro semestre de 2014 poderia tomar algumas decisões a tempo para a próxima temporada de festas do fim de ano”, disse Becker. “Porém talvez seja muito esperar que alguém recupere uma companhia como essa rapidamente”.