Inspirado na moda dos contos eróticos, ele espera um aumento de 20% no faturamento

O lançamento do livro “50 tons de cinza” da escritora E.L. James, em 2011, aumentou a curiosidade de muitos para algo ainda pouco explorado: os produtos eróticos. Quem afirma isso é Luiz Henrique Azar, um dos fundadores do sex shop Imagination.

Depois de ouvir da sua sócia, Cláudia Taouil, que havia uma intensa busca por esses produtos é que Luiz decidiu entrar para esse mercado. Atualmente, o Brasil tem 11 mil pontos de vendas de produtos eróticos que movimentam R$ 1 bilhão por ano, segundo os dados da Abeme (Associação Brasileira das Empresas do Mercado Erótico e Sensual).

Apesar de parecer bastante, esse negócio ainda não cresce na mesma proporção que a demanda. “Não vemos tantas empresas abrindo, mas a demanda não para de crescer. Esse ainda é um mercado inexplorado no país”, afirma Luiz Henrique.

Ele agora tem um e-commerce com diversas opções para o lazer adulto. Como as buscas costumam ser feitas na maioria das vezes pela internet, ele só faz as vendas por esse meio. A expectativa para 2019 é crescer 20% sobre o faturamento de 2018.

Influência literária

Luiz Henrique confessa que entrou para o mercado, pois soube por sua sócia que haviam grupos de mulheres apenas para falar de livros eróticos. A obra “50 tons de cinza”, que depois virou filme, foi apenas o mais famoso de todos.

Existem outras histórias que tem feito a cabeça dos leitores — e ajudado a despertar a curiosidade pelos produtos eróticos. Entre as autores mais notáveis estão as brasileiras Tatiana Amaral e Nana Pauvolih, além da espanhola Megan Maxwell – pseudônimo de María del Carmen Rodríguez do Álamo Lázaro.