Dentista fala sobre os problemas associados aos tratamentos da moda, as lentes e facetas dentais

Muitos desejam alcançar um sorriso perfeito e dentes brancos que não amarelam com o tempo, com uma arcada dentária perfeitamente alinhada e no formato ideal para compor o sorriso dos sonhos. Essas são as expectativas daqueles que buscam os tratamentos odontológicos da moda, impulsionados por artistas e celebridades, como as lentes de contato e facetas dentárias, que oferecem resultados rápidos e permanentes para a estética do paciente. Mas seria esta a melhor solução para todos os casos?

Facetas de porcelana – Foto: Reprodução

Para o Dr. Robson Andre, especialista em tratamentos de ortodontia e estética, existem prós e contras a serem considerados antes de simplesmente decidir por aderir ao tratamento da moda: “o custo financeiro desses tratamentos são altos, mas o custo biológico pode ser maior ainda caso o profissional não respeite os limites fisiológicos de cada paciente. Com o passar dos anos a odontologia evoluiu consideravelmente, novos materiais restauradores possibilitaram ao profissional realizar técnicas menos invasivas, com menor desgaste da estrutura dental e prognóstico mais seguro e duradouro, porém a crescente busca pela estética nos consultórios odontológicos abriu brechas para tratamentos mais invasivos, com mais desgastes das estruturas sadias em prol de uma reabilitação quase que instantânea”. 

Dr. Robson Andre – Foto: Reprodução

Para o especialista, os riscos dessa abordagem não são esclarecidos de forma convincente ao paciente e as consequências negativas já começam a aparecer nos consultórios especializados: ”O resultado de planejamentos equivocados já está aparecendo nos consultórios através de pacientes que buscam soluções para corrigir intercorrências de tratamentos realizados sem a correta indicação. A odontologia mundial tem avançado no campo científico a ponto de poder reabilitar os mais complexos dos casos com maestria, devolvendo função e estética ao paciente de forma segura, mas nenhuma especialidade da área deve ser negligenciada em prol do resultado acelerado, com sérios riscos de resultar em perdas dentárias e complicações mais sérias à saúde do paciente”.

A reabilitação dental permite ao paciente ganhos estéticos e funcionais – Foto: Reprodução

Segundo o Dr. Robson Andre, cada caso deve ser avaliado de forma individual, sem que seja aplicada uma fórmula geral a todos os pacientes: “Não adianta render-se a uma moda, uma tendência, sem uma avaliação profunda das reais necessidades do paciente, que vão muito além da estética e do sorriso branco e sempre perfeito. Quem realmente necessita de um tratamento ortodôntico, por exemplo, não deve ser submetido ao tratamento reabilitador protético sem antes ter reestabelecido sua correta função mastigatória, pois a reabilitação com lentes e facetas não substitui o tratamento ortodôntico. Sem duvidas o tratamento multidisciplinar, envolvendo o que há de melhor em cada especialidade, com um diagnóstico e planejamento corretos é o melhor caminho para que cada paciente tenha sua estética e função restabelecidas de forma segura e alcance resultados finais mais satisfatórios e duradouros”, conclui.