MetLife quer elevar participação no mercado brasileiro

A MetLife, maior seguradora de vida dos Estados Unidos, está armando uma ofensiva para crescer no mercado brasileiro, onde atua desde 1999. Com uma participação de 1,9% na venda de seguros de vida no país (planos VGBL não estão incluídos), a empresa está lançando um seguro exclusivo para corretores de seguros.

O objetivo é difundir uma cultura de seguro de vida entre os agentes de seu único canal de distribuição. O maior desafio para o nosso crescimento é o desinteresse dos brasileiros por esse produto , afirma o americano Bill Toppeta, presidente internacional do grupo MetLife. Com o seguro para corretores, buscamos criar uma consciência e multiplicá-la pelo mercado.

O executivo participou nesta quinta-feira (23/10), no Rio de Janeiro, do lançamento do seguro feito em parceria com o sindicato dos corretores do estado (Sincor-RJ). Parcerias semelhantes foram fechadas com os sindicatos dos corretores de São Paulo e da Bahia.

Com essa iniciativa, a MetLife busca também reforçar seu posicionamento no mercado interno. Queremos ser vistos como o especialista internacional no segmento de vida e previdência , diz Thad Burr, presidente da subsidiária brasileira da MetLife. Existem muitas opções de seguros de carro e de saúde e estamos confiantes na futura demanda pelos seguros de vida.

Para atrair os corretores, a empresa oferece seguros com preços bastante competitivos, além de descontos que podem chegar a 28% do preço, de acordo com o perfil do segurado. Avaliamos 15 propostas de seguradoras e essa nos pareceu a melhor , afirma o presidente do Sincor-RJ, Henrique Brandão.

Para ele, a investida da MetLife é oportuna pois as seguradoras estão desprezando o potencial do seguro de vida no mercado brasileiro. É cada vez mais difícil vender seguros de carro e de saúde e a carteira de vida pode ser muito rentável , diz Brandão.

Hoje, a Metlife Brasil é a quinta maior seguradora de vida não ligada a banco no mercado nacional (no ranking completo, ela ocupa a 12a posição). Sua meta é ficar, até 2006, entre as três maiores seguradoras não-bancárias (as principais são Sul América, Icatu, Vera Cruz e Porto Seguro).

O mercado brasileiro de seguros de vida (sem contar os VGBLs) soma 5 bilhões de reais em prêmios por ano. A liderança entre as seguradoras não-bancárias é cobiçada, mas sem prazo estipulado no planejamento estratégico da companhia. Para chegar lá, a multinacional já comprara a carteira de seguro de vida da Zurich Brasil, que foi transferida em julho passado. Outras aquisições como essa não estão descartadas de acordo com executivos da MetLife Brasil. A empresa conta hoje com 2 500 corretores como parceiros, uma carteira de 1 milhão de segurados e 11 000 empresas clientes.