Mercado Livre supera Twitter em valor de mercado

O dado faz parte da última edição do relatório setorial Mary Meeker Internet Trends 2019

São Paulo — O grupo de comércio eletrônico e serviços financeiros Mercado Livre superou o Twitter em valor de mercado, colocando pela primeira vez a América Latina no ranking das 30 maiores companhias de tecnologia do mundo em valor bursátil, segundo um levantamento divulgado nesta semana.

O dado faz parte da última edição do relatório setorial Mary Meeker Internet Trends 2019. Dentre as 30 primeiras empresas do ranking, 18 têm sede nos Estados Unidos e sete são chinesas. Japão, Canadá, Austrália e Suécia têm uma representante cada.

Microsoft liderou o ranking, com avaliação de 1 trilhão de dólares, seguida por Amazon (888 bilhões de dólares, Apple (875 bilhões) e Alphabet, dona do Google, com 741 bilhões).

De acordo com o relatório, o valor do Mercado Livre atingiu 30 bilhões de dólares na semana passada, enquanto o Twitter era de 29 bilhões de dólares.

Pelos dados da Reuters, considerando o valor de fechamento das ações nesta quarta-feira, o Twitter vale 28,6 bilhões de dólares, abaixo dos 30,25 bilhões de dólares da avaliação do Mercado Livre, cujo valor subiu 113% neste ano. O Twitter teve alta de 30,4% neste ano.

Segundo o estudo, em nível mundial o comércio eletrônico continua a ganhar fatia versus o varejo físico, mas as taxas de crescimento estão desacelerando, o que tem levado empresas do setor a buscar melhorias de produtos e “novos tipos de uso e monetização” de serviços em mercados tradicionalmente carentes.

Criado em 1999 na Argentina, o Mercado Livre tem mais de 270 milhões de usuários e 12 milhões de vendedores em 18 países da América Latina. O grupo tem apostado no seu braço de serviços financeiros, Mercado pago, como líder da expansão do negócio em seu principal mercado, o Brasil, a partir de 2019.

Segundo o vice-presidente de operações, Stelleo Tolda, a companhia tem o desafio de melhorar a experiência de compra online e “garantir que a América Latina se aproxime do patamar alcançado por mercados mais maduros, como os Estados Unidos, onde o comércio online representa 12% e a China, onde já chega a 20% de todo o varejo”.

Segundo o estudo, a penetração da internet na América Latina é de 62%, enquanto na América do Norte é de 89%.