Maus resultados derrubam executivo-chefe do UBS

Peter Wuffli será substituído por Marcel Rohner, atual diretor de private banking

A recente maré de maus resultados registrados pelo banco de investimentos suíço UBS levaram à queda do executivo-chefe, Peter Wuffli. Ele será substituído por Marcel Rohner, que comandava as operações de private banking e gestão de grandes fortunas da instituição. De acordo com o americano The Wall Street Journal, Wuffli decidiu deixar o UBS após ter seu nome rejeitado para a presidência do conselho de administração. A indicação havia sido encaminhada pelo atual chairman, Marcel Ospel, que, agora, continuará no cargo por mais três anos.

Nos últimos anos, o UBS destacou-se como uma das maiores potências mundiais na área de investimentos e estruturação de fusões e aquisições. Mas, em meses recentes, uma série de resultados negativos comprometeu a confiança da instituição em seu principal executivo, Wuffli. O caso mais ruidoso foi a decisão de encerrar um dos fundos de hedge do banco, o Dillon Read Capital Management, após operações malsucedidas no mercado hipotecário. O banco estima que o encerramento do fundo acarrete prejuízos de 300 milhões de dólares na contabilidade.

Wuffli também perdeu a adesão de pesos-pesados do mercado de capitais nos últimos tempos. Profissionais importantes deixaram a empresa, como Ken Moelis, um veterano da área de fusões, e Jeffrey McDermott, co-diretor da área de investimentos. Na semana passada, McDermott disse que estava de mudança para a Stony Lane Partners, uma nova empresa de private equity.