MasterCard pode bater Visa com estratégia de chip

A iniciativa da MasterCard de tornar as transações com cartões de crédito mais seguras pode lhe proporcionar uma vantagem competitiva

Nova York – A iniciativa da MasterCard Inc. de tornar as transações com cartões de crédito mais seguras pode lhe proporcionar uma vantagem competitiva, disseram analistas depois que a Target Corp. entregou seu portfólio para a empresa, anteontem, em detrimento da concorrente Visa Inc., de maior tamanho.

Target, que sofreu uma violação de dados durante os feriados de fim de ano, disse que os cartões que levam sua bandeira e os REDcards, que são internos, usariam a rede e a tecnologia da MasterCard em vez dos da Visa.

A Visa e a MasterCard deram a lojas e bancos prazo até outubro de 2015 para que adotem a chamada tecnologia EMV ou assumam a responsabilidade por transações falsas.

Comerciantes e bancos podem usar cartões com chip, que exigem uma assinatura ou um número de identificação pessoal.

Embora a medida da Visa não distinga entre os dois, a da MasterCard enfatiza o PIN, o que pode melhorar suas perspectivas com os comerciantes, que preferem esse método.

“Nós não estávamos antecipando que a mudança para a EMV pudesse ser um catalisador da mudança do portfólio da Visa para a MasterCard, e isso mostra que há algumas oportunidades”, disse David Darst, analista da Guggenheim Securities LLC, a respeito da decisão da Target.

A Target disse que aceleraria sua mudança para a tecnologia de cartões com chip depois que dezenas de milhões de contas de cartões de crédito e débito foram violadas no final do ano passado.

A rede de varejo com sede em Minneapolis disse anteontem que essa atualização incluiria a tecnologia de chip com PIN.

“A Target está dizendo de forma bastante pública que eles estão adiantados na adoção da EMV e que não é apenas EMV, é também o sistema de chip e PIN”, disse Darrin Peller, analista da Barclays Plc. “Isso dá espaço para que alguém como a MasterCard ganhe participação de mercado”.

‘Boa vitória’

No início do mês passado, a Wal-Mart Stores Inc., maior rede varejista dos EUA, escolheu a MasterCard para gerenciar as transações para seus cartões de crédito com bandeira da loja, encerrando um relacionamento de nove anos com a Discover Financial Services.

Embora o acordo da Target com a MasterCard, que tem sede em Purchase, Nova York, seja uma “boa vitória”, o aumento de receita deve ser “bastante insignificante”, segundo Sanjay Sakhrani, analista da Keefe, Bruyette Woods em Nova York. Os cartões da Target atualmente levam sua bandeira e a da Visa, que tem sede em Foster City, Califórnia.

O acordo pode impulsionar a receita anual da MasterCard em US$ 13 milhões, ou 1 centavo de dólar por ação, disse Sakhrani.

A EMV — tecnologia que recebeu o nome dos fundadores EuroPay International, MasterCard e Visa — é padrão na Europa e em boa parte do resto do mundo e torna mais difícil que os hackers clonem dados de cartões. A EMV tem demorado mais para se espalhar pelos EUA, em parte porque custa às redes de varejo e emissores mais do que os cartões com faixas magnéticas.

“Que método de verificação será adotado é uma escolha de nossos clientes do varejo e instituições financeiras e apoiaremos o método que eles preferirem”, disse Paul Cohen, porta-voz da Visa.

Grupos como a Federação Nacional do Varejo dos EUA também disseram que preferem cartões com chip e PIN. Enquanto o setor continuar sua conversão, é possível que a MasterCard possa conseguir mais negócios de redes de varejo defendendo a tecnologia do PIN, segundo Darst, da Guggenheim.

“Há diferentes momentos em que pode haver movimentos de portfólio ou de participação de mercado da Visa para a MasterCard”, disse Darst. “Esse é um deles”.