Marissa Mayer defende inocência de ex-presidente da Uber

Ex-presidente do Yahoo diz que Travis Kalanick “não tinha como saber” sobre cultura tóxica e sexista da Uber. Ele foi afastado da presidência

São Paulo – Nas últimas semanas, a Uber esteve debaixo de duras críticas por sua cultura interna tóxica e sexista. Por conta de acusações de assédios sexuais e outros problemas de gestão, o ex-presidente, Travis Kalanick, afastou-se por tempo indeterminado.

Mas há uma pessoa que defende o empresário: a ex-CEO do Yahoo, Marissa Mayer.

Ela afirmou que acredita que Kalanick não sabia dos abusos que aconteciam dentro de sua própria empresa por causa do seu rápido crescimento. Mayer falou ontem em um evento de universidades, Stanford Directors’ College, segundo o SF Chronicle.

“Eu apenas não acho que ele sabia”, disse ela. “Quando sua companhia escala tão rapidamente, é difícil” de acompanhar tudo o que acontece, afirmou. “Ganhar escala é incrivelmente complicado”.

“Eu conto Travis como um dos meus amigos. Acredito que ele é um líder fenomenal e a Uber é ridiculamente interessante”, disse.

A ex-presidente do Yahoo é um dos nomes cotados para substituir o executivo afastado da empresa de tecnologia, de acordo com relatórios. Por enquanto, a Uber ainda não fez nenhum comunicado oficial sobre quem deverá assumir o cargo.

Marissa Mayer deixou a liderança do Yahoo quando a compra da empresa pela Verizon foi fechada no dia 13 de junho deste ano. Os ativos do Yahoo se união à AOL em uma nova companhia, chamada Oath.

Investigação e demissões: 7 polêmicas da Uber no último mês